Bilionário israelense que contratou Moro é condenado por corrupção na Suíça

Beny Steinmetz, ex-sócio da Vale em um projeto de mineração de ferro na Guiné, um dos países mais pobres do continente africano, foi condenado nesta sexta-feira (22) a cinco anos de prisão pela Justiça da Suíça

Beny Steinmetz e Sérgio Moro
Beny Steinmetz e Sérgio Moro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O bilionário israelense Beny Steinmetz foi condenado nesta sexta-feira (22) a cinco anos de prisão pela Justiça da Suíça. 

Steinmetz é ex-sócio da Vale em um projeto de mineração de ferro na República da Guiné e havia contratado parecer do ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro

O empresário é acusado de organizar a transferência de pelo menos US$ 8,5 milhões de 2006 a 2012 para garantir o direito de explorar a mina de ferro Simandou, na Guiné. Ele fechou, 18 meses depois, um acordo de parceria com a Vale, no valor de US$ 2,5 bilhões. 

Segundo a revista Piauí, além da pena de reclusão, Steinmetz, de 64 anos, deverá pagar uma multa de 50 milhões de francos suíços pelos crimes de corrupção de funcionários públicos estrangeiros e falsificação de documentos. 

Apesar da condenação sofrida, Beny Steinmetz vai recorrer da sentença em liberdade.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email