Bolsonaro diz que irá enviar 'ajuda concreta' ao Líbano

Jair Bolsonaro disse que irá enviar ajuda humanitária ao Líbano, após a explosão na área portuária que devastou parte da capital ."O Brasil vai fazer mais do que um gesto, algo de concreto, para atender, em parte, aquelas dezenas de milhares de pessoas que estão em uma situação bastante complicada”, disse

Jair Bolsonaro e explosão em Beirute, Líbano.
Jair Bolsonaro e explosão em Beirute, Líbano. (Foto: Alan Santos/PR | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira que o Brasil vai enviar ajuda ao Líbano, depois que uma grande explosão na área portuária de Beirute sacudiu a capital do país na véspera.

“O Brasil vai fazer mais do que um gesto, algo de concreto, para atender, em parte, aquelas dezenas de milhares de pessoas que estão em uma situação bastante complicada”, disse Bolsonaro no final de uma cerimônia no Ministério de Minas e Energia, afirmando que ligou para o embaixador do Líbano no Brasil.

Logo em seguida, ao deixar o local, o presidente disse a jornalistas que o governo está em contato com representantes da comunidade libanesa em São Paulo para definir que tipo de ajuda será enviada. Bolsonaro adiantou apenas que há um avião cargueiro militar KC-390 à disposição para essa tarefa.

Uma explosão gigantesca em armazéns no porto de Beirute na terça-feira causou a morte de pelo menos 100 pessoas, feriu 4 mil e provocou ondas de choque que estilhaçaram janelas, danificaram edifícios e fizeram estremecer o chão da capital libanesa.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247