Brasil deve ficar fora de reabertura da Europa para turistas

Será permitida a entrada na zona Schengen (que permite livre trânsito interno) de viajantes de locais com situação epidemiológica controlada, o que não é o caso do Brasil

Novas regras preveem reabertura para a entrada de turistas na Europa
Novas regras preveem reabertura para a entrada de turistas na Europa (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Viagens do Brasil para a Europa ficarão de fora das novas regras de reabertura para turistas. De acordo com as normas anunciadas nesta segunda (3) pela Comissão Europeia (Executivo da UE) e encaminhadas ao Conselho Europeu (que reúne governos dos países-membros), será permitida a entrada na zona Schengen (que permite livre trânsito interno e inclui também Noruega, Islândia, Suíça e Liechetenstein; a Irlanda não está incluída) de viajantes de locais com situação epidemiológica controlada.

O Brasil demorou 149 dias para chegar as 100 mil mortes por Covid-19 e 152 dias para sair dos 100 mil para os 200 mil óbitos, de acordo com o portal G1,. Em apenas 76 dias o País chegou a 300 mil e, depois, em 36 dias atingiu a marca dos 400 mil.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a Comissão Europeia propôs um limite de 100 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias, o que pode aumentar o número de países considerados "zona verde" de 7 para cerca de 40. Entre eles México, África do Sul, Arábia Saudita, Japão, Indonésia e Rússia (a lista é revista pelo Conselho a cada duas semanas).

No Brasil, a taxa de contágio atual é o quádruplo do novo limite máximo: 400 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias, apontaram, recentemente, dados mais recentes do ECDC (centro de controle de doenças europeu).

A Comissão pretende flexibilizar a entrada para todas as pessoas que tiverem tomado as duas doses de uma vacina autorizada pela UE ou pela Organização Mundial da Saúde, pelo menos 14 dias antes da chegada ao território europeu.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email