Brian Mier: acontece com Serra o que aconteceu com Pinochet

Jornalista Brian Mier avalia que, assim como o ditador chileno Augusto Pinochet, José Serra foi descartado pelos EUA. “O PSDB é o partido oficial do partido Democratas, dos EUA. O plano inicial dos golpistas era derrubar Dilma e eleger Hillary Clinton, mas tudo deu errado, pois Trump foi eleito e o PSDB também implodiu”, explica. Assista

(Foto: Brasil247 | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O  jornalista Brian Mier analisa a operação de busca realizada nesta sexta-feira (3) na casa do senador José Serra (PSDB-SP), alvo da Lava Jato, e considera que o ex-governador de São Paulo, assim como o falecido ditador chileno Augusto Pinochet (1915-2006), “foi descartado pelos Estados Unidos”. 

“O PSDB é o partido oficial do partido Democratas, dos EUA. O plano inicial dos golpistas era derrubar Dilma [Rousseff], eleger Hillary Clinton e Geraldo Alckmin em 2018, mas tudo deu errado, pois Trump foi eleito e o PSDB também implodiu. Isso deixou Serra muito vulnerável”, explica o jornalista.

Mier recorda que a relação entre o PSDB e os Democratas era tão explícita “que várias vezes, durante o golpe de 2016, Serra e o ex-senador Aloysio Nunes foram aos EUA para encontrar membros do partido". 

Ele também acrescenta que, após as crises internas que abalaram a força dos tucanos, “o PSDB não possui a mesma força que tinha há cinco anos, deixando Serra numa situação muito vulnerável”. 

“O cara [Serra] passou décadas envolvido em questões muitos duvidosas, agora, quando ele chega perto dos 80 anos, resolvem puni-lo. Os danos já foram feitos. Por que não investigaram Serra na década de 1990?”, questiona. 

Inscreva-se na TV 247 e confira: 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247