Caitlin Johnstone fala sobre a decadência da civilização ocidental: "é um matadouro"

"Não somos pessoas para eles. Somos baterias. Somos combustível", diz jornalista sobre o funcionamento da sociedade ocidental

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters/Eric Gaillard)


Por Caitlin Johnstone, em seu site. Tradução automática do Consortium News.

Presa no Matadouro

A civilização ocidental é uma história de barrigas cheias e corações famintos. De uma festa de informação e uma fome de verdade. De correias transportadoras produzindo alimentos processados, mídia de conformidade e cultura de serviço ao poder. Comida suficiente para permanecer vivo, mas não sustento suficiente para viver.

Eles nos mantêm vivos, mas não nos deixam viver. Eles nos dão carboidratos suficientes para girar as engrenagens da indústria, mas nos mantêm ocupados demais, pobres, propagandeados, confusos e loucos para realmente beber das águas da vida. Para realmente experimentar a beleza deste mundo. Para deixar a potencialidade crepitante da vida terrestre avançada florescer dentro de nós.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O império moderno nos governa enchendo nossos mercados com Wonder Bread e nossas escolas e mídia com mentiras. Enchendo nossas barrigas e deixando nossas almas famintas. Ao produzir montanhas de aterros inúteis sem nunca produzir nada de valor real. Fazendo mais enquanto fornece menos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles melhoram a produção de alimentos e remédios apenas o suficiente para prolongar nossa expectativa de vida, apenas para que tenham mais vida para nos drenar. Eles nos permitem povoar a terra com mais humanos apenas para nos drenar de nossa humanidade.

Não somos pessoas para eles. Somos baterias. Somos combustível.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Isso não é civilização. É um matadouro. Uma performance de plástico falsa encenada para canalizar a vida humana nas engrenagens de uma máquina insaciável. Uma cultura de plástico falsa projetada para nos manter na esteira rolante para que nossa força vital possa ser convertida em combustível para um império sem alma. Uma falsa sociedade de plástico construída para nos manter marchando para o processador de alimentos.

Há muito mais de nós do que deles. Poderíamos esmagá-los como um inseto no momento em que decidíssemos. Mas a lavagem cerebral é muito, muito eficaz, e a alucinação da matriz parece muito, muito real. Nosso coma induzido por propaganda nos mantém alimentando a máquina.

Só quando acordarmos do coma nossa aventura neste planeta realmente começará. Até que possamos desconectar nossas mentes dos mecanismos de controle de sifão de vida do império, podemos começar a realmente viver.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ou acordamos uns aos outros ou ficamos presos no matadouro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email