Candidata à presidência da França defende reunificação da Crimeia com Rússia

Marine Le Pen, candidata presidencial francesa, líder do partido Frente Nacional, declarou que não considera ilegítima a reunificação da península com a Rússia; "Não acho que a anexação tenha sido ilícita: foi realizado um referendo, os moradores da Crimeia expressaram o seu desejo de aderir à Rússia. Não vejo razões para pôr em dúvida este referendo", disse Le Pen em uma entrevista ao canal BFMTV; ela também destacou que a necessidade de "estabelecer relações estratégicas" entre a Rússia e França no âmbito da luta contra o grupo terrorista Daesh

Marine Le Pen, candidata presidencial francesa, líder do partido Frente Nacional, declarou que não considera ilegítima a reunificação da península com a Rússia; "Não acho que a anexação tenha sido ilícita: foi realizado um referendo, os moradores da Crimeia expressaram o seu desejo de aderir à Rússia. Não vejo razões para pôr em dúvida este referendo", disse Le Pen em uma entrevista ao canal BFMTV; ela também destacou que a necessidade de "estabelecer relações estratégicas" entre a Rússia e França no âmbito da luta contra o grupo terrorista Daesh
Marine Le Pen, candidata presidencial francesa, líder do partido Frente Nacional, declarou que não considera ilegítima a reunificação da península com a Rússia; "Não acho que a anexação tenha sido ilícita: foi realizado um referendo, os moradores da Crimeia expressaram o seu desejo de aderir à Rússia. Não vejo razões para pôr em dúvida este referendo", disse Le Pen em uma entrevista ao canal BFMTV; ela também destacou que a necessidade de "estabelecer relações estratégicas" entre a Rússia e França no âmbito da luta contra o grupo terrorista Daesh (Foto: Romulo Faro)

Sputnik - Marine Le Pen, candidata presidencial francesa, líder do partido Frente Nacional, declarou que não considera ilegítima a reunificação da península com a Rússia.

"Não acho que a anexação tenha sido ilícita: foi realizado um referendo, os moradores da Crimeia expressaram o seu desejo de aderir à Rússia. Não vejo razões para pôr em dúvida este referendo", disse Le Pen em uma entrevista ao canal BFMTV.

Ela também destacou que a necessidade de "estabelecer relações estratégicas" entre a Rússia e França no âmbito da luta contra o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia).

Kiev, os EUA e a UE acusaram várias vezes Moscou de intervir na situação na Ucrânia. A Rússia nega estas acusações, considerando-as inaceitáveis. As autoridades russas sempre sublinharam que Moscou não tem nada a ver com o conflito interino ucraniano, ao contrário, a Rússia está interessada em que a Ucrânia supere esta crise.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247