Candidatos democratas estão divididos sobre impeachment de Trump

Os candidatos presidenciais democratas estão divididos sobre se o presidente republicano Donald Trump deve ou não ser cassado, refletindo uma divisão mais ampla no Partido Democrata sobre como reagir ao relatório do Assessor Especial Robert Mueller sobre a interferência eleitoral da Rússia

Candidatos democratas estão divididos sobre impeachment de Trump
Candidatos democratas estão divididos sobre impeachment de Trump (Foto: REUTERS/ Kevin Lamarque)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - Os candidatos presidenciais democratas estão divididos sobre se o presidente republicano Donald Trump deve ou não ser cassado, refletindo uma divisão mais ampla no Partido Democrata sobre como reagir ao relatório do Assessor Especial Robert Mueller sobre a interferência eleitoral da Rússia.

Respondendo a perguntas do público em um evento transmitido pela CNN em New Hampshire, três pré-candidatos democratas para as eleições de 2020 evitaram falar sobre o impeachment de Trump.

O senador da Califórnia, Kamala Harris, disse que o Congresso deveria "tomar as medidas para o impeachment", mas acredita que tal esforço provavelmente fracassará.

Apenas um candidato no evento, a senadora norte-americana de Massachusetts, Elizabeth Warren, emitiu um apelo claro ao Congresso para tentar remover Trump do cargo.

No relatório divulgado na quinta-feira passada, Mueller retratou um presidente empenhado em parar a investigação sobre a intromissão russa. Mas Mueller não concluiu que um crime foi cometido, deixando para o Congresso fazer seu próprio julgamento sobre se Trump obstruiu ou não a justiça.

Nancy Pelosi, presidente democrata da Câmara, e alguns outros líderes do Partido Democrata têm sido cautelosos com o impeachment de Trump antes da eleição presidencial de novembro de 2020.

Eles acreditam que não há votos suficientes no Senado controlado pelos republicanos para remover Trump do cargo.

Mas proeminentes liberais exigiram o início dos procedimentos para remover Trump do cargo desde o lançamento de uma versão do relatório de Mueller na semana passada.

Em uma carta aos parlamentares democratas na segunda-feira, Pelosi não descartou o impeachment de Trump, mas disse que é "importante saber que os fatos sobre a responsabilização do presidente podem ser obtidos fora das audiências de impeachment".

Refletindo a divisão sobre como proceder em relação às descobertas de Mueller, os cinco pré-candidatos para 2020, que compareceram em eventos consecutivos perante uma audiência de jovens eleitores, também se dividiram sobre o tema.

O senador norte-americano de Vermont, Bernie Sanders, disse: "Se pelo próximo ano e meio, o Congresso está falando sobre 'Trump, Trump, Trump' e 'Mueller, Mueller, Mueller' e não estamos falando sobre as questões que preocupam os americanos comuns, eu me preocupo que isso funcione em benefício de Trump.

A senadora estadunidense de Minnesota, Amy Klobuchar, disse que essa questão deve ser analisada pela Câmara dos Deputados, onde os processos de impeachment são iniciados.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247