Casal é condenado a 19 anos de prisão por racismo em festa de criança nos EUA

Eles invadiram uma festa de aniversário de um garoto negro de 8 anos, que ocorria ao ar livre, com bandeiras dos Estados Confederados, considerada um símbolo racista, e gritando insultos contra os convidados; Jose "Joe" Torres e Kayla Nortoncasal fazia parte de um grupo chamado "Respect the Flag", que, segundo a polícia, é formado por supremassistas brancos; na internet, foram localizadas mensagens dos integrantes do grupo discutindo participação em comícios da Ku Klux Klan e com ataques aos negros

Eles invadiram uma festa de aniversário de um garoto negro de 8 anos, que ocorria ao ar livre, com bandeiras dos Estados Confederados, considerada um símbolo racista, e gritando insultos contra os convidados; Jose "Joe" Torres e Kayla Nortoncasal fazia parte de um grupo chamado "Respect the Flag", que, segundo a polícia, é formado por supremassistas brancos; na internet, foram localizadas mensagens dos integrantes do grupo discutindo participação em comícios da Ku Klux Klan e com ataques aos negros
Eles invadiram uma festa de aniversário de um garoto negro de 8 anos, que ocorria ao ar livre, com bandeiras dos Estados Confederados, considerada um símbolo racista, e gritando insultos contra os convidados; Jose "Joe" Torres e Kayla Nortoncasal fazia parte de um grupo chamado "Respect the Flag", que, segundo a polícia, é formado por supremassistas brancos; na internet, foram localizadas mensagens dos integrantes do grupo discutindo participação em comícios da Ku Klux Klan e com ataques aos negros (Foto: Aquiles Lins)

Da Revista Fórum - Um casal foi condenado a prisão por racismo na cidade de Atlanta (EUA). Jose "Joe" Torres terá que ficar 13 anos preso e Kayla Norton, seis anos. No dia 25 de julho de 2015, eles junto com outras 12 pessoas invadiram a festa de aniversário de uma criança negra de 8 anos.

Eles estavam em caminhões, gritando insultos racistas e segurando bandeiras dos Estados Confederados. A bandeira foi usada na Guerra Civil nos Estados Unidos, quando os Estados Confederados buscaram a independência para impedir a abolição da escravatura.

Segundo o promotor do caso, Torres ainda apontou uma espingarda para os familiares que participavam da festa e disse que iria matá-los.

O casal fazia parte de um grupo chamado "Respect the Flag", que, segundo a polícia, é formado por supremassistas brancos. Na internet, foram localizadas mensagens dos integrantes do grupo discutindo participação em comícios da Ku Klux Klan e com ataques aos negros.

Na audiência, chorando, Kayla Norton pede desculpas pelo que ocorreu. Hyesha Bryant, uma das pessoas da festa, testemunhou na audiência e disse a Kayla: "O que você disse afetou minha vida e a vida de meus filhos". Mas mesmo assim, afirmou: "Eu te perdôo, eu perdoo a todos vocês".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247