Casos de violência policial contra manifestantes na Colômbia já são mais de 1.700

Em uma semana de protestos, manifestantes já denunciaram 1.708 casos de abuso policial, entre eles casos de violência sexual e violação de direitos humanos; ONU e União Europeia condenaram atos contra os manifestantes

(Foto: Luisa Gonzalez/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- Denúncias registradas na Plataforma Grita,  reúne relatos de 28 de abril, início das manifestações, até a última quarta-feira, 05. Os números são alarmantes. Só homicídios são 37, número diferente do divulgado oficialmente pelo Ministério da Defesa da Colômbia: 11 mortes durante os protestos. Há também 222 casos de vítimas de violência física, 831 prisões arbitrárias, 312 intervenções violentas, 22 pessoas com lesões oculares, 110 vítimas de balas sacadas por policiais e 10 casos de violência sexual. Os casos foram registrados na capital Bogotá, em Cali, Medellín, Barranquilla, Buga e Palmira.


De acordo com o UOL, os dados coletados pela Plataforma Grita não incluem os da madrugada desta quarta-feira(05), que teve mais um dia de repressão violenta contra jovens manifestantes. De acordo com a publicação, nas redes sociais vídeos mostram que pelo menos dois jovens foram mortos e outros ficaram feridos quando foram atacados enquanto manifestavam contra o governo de Iván Duque, em Pereira, a 320km de Bogotá.

O Ministério Público colombiano anunciou na quarta-feira que vai acusar policiais pelos homicídios de três civis durante as manifestações.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email