Chanceler cubano rechaça fala de Bolsonaro na ONU: delira e anseia por ditadura

"A fala de Bolsonaro na ONU foi do tamanho da sua significância: pequeno", afirmou o chanceler cubano, Bruno Rodríguez, após Jair Bolsonaro dizer na ONU que a "ditadura cubana" trouxe ao Brasil profissionais "sem comprovação médica". Segundo o cubano, Bolsonaro constrói um Brasil "da ideologia do ódio, da morte e da ignorância"

Bruno Rodríguez
Bruno Rodríguez (Foto: REUTERS/Alexandre Meneghini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, rechaçou a declaração de Jair Bolsonaro, que, nesta terça-feira (24), acusou a "ditadura cubana" de trazer profissionais "sem comprovação médica" para trabalhar pelo Programa Mais Médicos.

"O novo Brasil que Bolsonaro diz estar construindo em seu discurso é na verdade o Brasil da ideologia do ódio, da morte e da ignorância. A fala de Bolsonaro na ONU foi do tamanho da sua significância: pequeno", escreveu a parlamentar no Twitter.  

Segundo Bolsonaro, a "história nos mostra que agentes cubanos foram enviados a territórios cubanos para implementar ditaduras."

O ministro cubano afirmou que o ocupante do Planalto "está delirando e anseia pelos tempos da ditadura militar". "Ele deve cuidar da corrupção de seu sistema de justiça, governo e família. Ele é o campeão do aumento da desigualdade no Brasil", acrescentou. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email