Charles Mason quebra o silêncio: “Sou mau”

Um dos criminosos mais famosos do mundo, ele tenta reabrir seu caso e fala revista Vanity Fair

247 – Um dos criminosos mais famosos do mundo, o americano Charles Mason quebrou um silêncio de vinte anos e, quando se cumprem 40 anos do assassinato da atriz Sharon Tate, grávida de oito meses, e mais sete pessoas, abriu a boca. “Sou um homem mau que dispara contra as pessoas”, disse ele à edição espanhola da revista Vanity Fair, que circula nesta terça-feira 19. Entre 9 e 10 de agosto de 1969, Mason comandou um grupo que manteve em cárcere privado o grupo em torno da atriz, estrela do filme Bebê de Rosemary e mulher do diretor Roman Polanski. Por fim, ordenou a morte a tiros de todos.

“A erva ruim nunca morre”, disse Mason, que está com 76 anos, à VF, na prisão californiana de Corcoran. “Vivo no inframundo. Não digo o que as pessoas têm de fazer. Eles sabem o que têm de fazer. E, se não sabem, não vem saber aqui comigo. Sou um mesquinho, um sujo, um forajido ruim”. A entrevista faz parte de um plano do próprio Mason para tentar reabrir o julgamento de seu caso. Ele foi considerado culpado por ter conduzido quatro jovens de sua comunidade hippie a matarem a atriz e seu grupo, pelo suposto motivo de abrir uma guerra racial nos Estados. As chances de Mason conseguir seu intento são mínimas.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247