China diz que Mar do Sul não deve ser alvo de disputa internacional

O Mar do Sul da China é compartilhado pelos países da região e não deve ser um campo de batalha para a política internacional, afirmou o Conselheiro de Estado e Ministro das Relações Exteriores, Wang Yi

Navios chineses em um recife das ilhas Spratly
Navios chineses em um recife das ilhas Spratly (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Os Estados Unidos têm adotado recentemente uma série de ações provocativas em relação ao Mar do Sul da China, violando seu compromisso de longa data de não tomar partido e interferindo de forma flagrante nas disputas territoriais, relatou à Xinhua o ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi.

De acordo com o chanceler, os Estados Unidos continuam intensificando e exibindo sua presença militar no Mar do Sul da China. Somente no primeiro semestre deste ano, enviaram mais de 2 mil vezes aviões militares a essa região.

Os Estados Unidos também estão buscando provocar uma cisão entre a China e os países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e interromper o processo de consultas do Código de Conduta do Mar do Sul da China, acrescentou Wang.

O propósito dos EUA é desestabilizar o Mar do Sul da China, e engajar os países da região para que sirvam à política interna e à agenda geopolítica norte-americana, observou Wang, exortando todos os países da região a se manterem vigilantes e evitar que a paz e o desenvolvimento duramente conquistados nesta região sejam sabotados pelos Estados Unidos.

Os fatos provam que a resolução de disputas através do diálogo é a maneira adequada que melhor serve aos interesses dos países da região, e esses países têm a responsabilidade compartilhada de manter o Mar do Sul da China pacífico e estável, ressaltou Wang.

Sob a situação atual, a China propõe acabar com todos os conflitos para retomar o mais rápido possível as consultas do Código de Conduta e chegar o mais breve possível a um acordo sobre um sistema de regras para manter a paz e a estabilidade a longo prazo na região.

Neste ínterim, a China está preparada para fortalecer a cooperação marítima com outros países costeiros, aprofundar a confiança mútua em segurança e avançar no desenvolvimento conjunto, de modo a tornar o Mar do Sul da China em um mar de paz, amizade e cooperação, acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247