China diz que protestos violentos em Hong Kong são atos terroristas

O governo chinês condenou nesta segunda-feira (12) como terroristas os últimos atos violentos cometidos por manifestantes em Hong Kong e chamou essas ações de atos de terrorismo

(Foto: Sputnik)

Prensa Latina - O governo chinês condenou nesta segunda-feira (12) como terroristas os últimos atos violentos cometidos por manifestantes em Hong Kong e chamou essas ações de atos de terrorismo. 

O porta-voz do Gabinete de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado chinês (gabinete), Yang Guang rejeitou na segunda-feira os acos cometidos por um pequeno grupo de amotinados naquela Região Administrativa Especial (Raehk) que no domingo lançou bombas contra a polícia e feriu vários agentes.  

"Condenamos esses atos como sinais de terrorismo, imprudentes e criminosos", disse Yang e expressou sua solidariedade aos funcionários feridos.  Yang disse que nenhum governo do mundo tolerará tais atrocidades extremistas e acrescentou que as autoridades responderão com "punho de ferro".  

Nos últimos dias, manifestantes radicais em Hong Kong atacaram repetidamente a polícia com instrumentos muito perigoso, o que constitui um crime grave, disse Yang.  Durante os protestos, eles também destruíram propriedades públicas, bloquearam estradas, cercaram delegacias e até jogaram tijolos para atacar os agentes.  

Yang reafirmou o forte apoio ao governo local e aos seus esforços para deter a violência, restaurar a ordem e salvaguardar o estado de direito e a segurança na área.  

A China também disse que vai defender o modelo Um país, dois sistemas para a situação desencadeada por radicais nessa região.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247