China e Mongólia unem forças para promover a modernização na nova era

Os dois países decidiram trabalhar em conjunto pela paz e o desenvolvimento

www.brasil247.com -
(Foto: Mídia chinesa)


Rádio Internacional da China - O presidente chinês, Xi Jinping, reuniu-se nesta segunda-feira (28) com o presidente mongol, Ukhnaa Khurelsukh, em Pequim. No encontro, as duas partes concordaram em trabalhar juntas para promover a modernização na nova era e chegaram ao consenso sobre a construção de uma comunidade de futuro compartilhado entre os dois países.

A paz é uma pré-condição para o desenvolvimento. O presidente Xi Jinping salientou que as duas nações devem se apoiar mutuamente em questões relacionadas com os interesses fundamentais e as principais preocupações de cada um. O presidente mongol  reafirmou o compromisso do seu país com a política de uma só China e sublinhou o total apoio às iniciativas globais de desenvolvimento e segurança propostas pelo governo chinês. Esta confiança política mútua proporcionou uma base sólida para uma cooperação pragmática entre os dois países em diferentes domínios. 

De acordo com as estatísticas, a China tem sido o maior parceiro comercial e a maior fonte de investimentos na Mongólia por 18 anos consecutivos. Em 2021, o comércio bilateral ultrapassou pela primeira vez a marca de US$10 bilhões. Xi Jinping indicou que ambos os lados devem promover a conexão de várias iniciativas e estratégias, a fim de promover o crescimento econômico e a melhoria da vida da população dos dois países. 

De acordo com declaração conjunta divulgada, China e Mongólia assinaram 16 documentos de cooperação e concordaram em priorizar a interconectividade e as energias na cooperação bilateral. 

Ao mesmo tempo, os dois países decidiram intensificar a cooperação nas áreas de proteção ambiental e luta contra a desertificação. A China saudou o plano mongol de plantar um bilhão de árvores e se mostrou disposta a discutir a criação de um centro de cooperação sino-mongol para combater a desertificação.

Em maio deste ano, o governo chinês propôs plantar 70 bilhões de árvores em dez anos. A persistência da China e da Mongólia no desenvolvimento verde é um ato responsável para os povos dos dois países e de todo o mundo.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247