China enfrenta o inverno mais frio em 30 anos

Monumentos, como a Grande Muralha, estão sob a neve e mais de 250 mil chineses necessitam de alguma ajuda emergencial

China enfrenta o inverno mais frio em 30 anos
China enfrenta o inverno mais frio em 30 anos
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A China enfrenta as temperaturas mais baixas das três últimas décadas, que atingem todo o país. Mais de 250 mil chineses precisam de algum tipo de ajuda emergencial. Nas regiões do Sul do país, onde não é comum o registro de baixas temperaturas, o governo criou abrigos para os sem-teto e os idosos.

No Norte, mais de 150 bois morreram em decorrência da onda de frio, que também arruinou plantações, principalmente devido à neve. Há ainda informações sobre barcos encalhados em águas congeladas. A previsão é de que a onda de frio continue.

As baixas temperaturas ocorrem no momento que as autoridades chinesas divulgaram que o Índice de Preços ao Consumidor da China (IPC), um dos principais indicadores da inflação, subiu para 2,5% em dezembro. Os dados são do Gabinete Nacional de Estatísticas do país.

O valor representa um aumento de 0,5 ponto percentual em relaçao ao mês anterior e de 0,8 ponto percentual na comparação com outubro passado, quando o IPC registou o nível mais baixo em cerca de três anos (1,7%).

Este ano, o governo chinês prometeu "manter a inflação em torno dos 4%", cerca de 1,5 ponto percentual abaixo da média de 2011 (5,4 %).

*Com informações da BBC Brasil e agência pública de notícias de Portugal, Lusa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email