China pune um milhão de corruptos em maior expurgo desde Mao

Num expurgo comparável aos realizados por Mao Tsé-Tung, o premiê chinês Xi Jinping (foto) demitiu cerca de 1,34 milhão de funcionários públicos investigados por corrupção; segundo analistas, a "limpeza" promovida por Xi ajudará a determinar quem será o substituto de Xi e futuro premiê da China

(FILES) This file photo taken on September 28, 2011 shows Chinese Vice President Xi Jinping taking part in a ceremony at the Great Hall of the People in Beijing.  A health scare was the likely reason for the unexplained absence of Xi Jinping, as secrecy s
(FILES) This file photo taken on September 28, 2011 shows Chinese Vice President Xi Jinping taking part in a ceremony at the Great Hall of the People in Beijing. A health scare was the likely reason for the unexplained absence of Xi Jinping, as secrecy s (Foto: Charles Nisz)

BBC Brasil - Desde 2012, sob a liderança de Xi Jinping, a China já puniu um milhão de funcionários públicos, numa campanha anticorrupção. Mais de 170 ministros e vice-ministros foram demitidos e muitos deles acabaram na prisão. É o maior expurgo no país desde Mao Tsé-Tung, que governou o país desde a criação da república, em 1949, até 1976. 

O atual primeiro-ministro hoje tem status similar ao de Mao e sua teoria de governo foi incluída na constituição do partido.Figuras proeminentes foram retiradas de cena: 35 membros com e sem direito a voto no poderoso Comitê Central do PCC foram punidos. Cerca de 1,34 milhão de funcionários públicos de vários escalões foram afastados, inclusive na cúpula do regime.

Um caso emblemático foi o de Zhou Yongkang, ex-chefe da segurança interna. Acusado de suborno, abuso de poder e "intencionalmente revelar segredos nacionais", ele foi condenado à prisão perpétua. Já Sun Zhengcai perdeu o cargo de secretário do partido na cidade de Chongqing. Ele sonhava em ser um dos líderes do politburo - o alto escalão do governo chinês.

Quase 70% dos membros do Comitê Central serão substituídos no Congresso do Partido Comunista, que acontece desde a semana passada. Os membros com mais de 60 anos devem se aposentar. Nenhuma área sofreu mudanças tão profundas como a militar: mais de 60 generais foram investigados e demitidos como parte de um plano para inserir um estilo ocidental de comando conjunto e colocar jovens em postos de comando.

Xi deve permanecer como chefe do Partido Comunista e espera que uma nova safra de líderes suja - o premiê quer colocar seus pupilos em postos-chave. De acordo com analistas, Xi e Wang Qishan, seu chefe anti-corrupção e braço direito, usaram essa campanha de limpeza para ajudar a determinar quem será o novo líder da China.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247