Christian Russau: Alemanha não deve ter relações com governo fascista do Brasil

Em entrevista à TV 247, o jornalista e cientista social alemão Christian Russau se diz preocupado com a situação política do Brasil e com a prisão do ex-presidente Lula; "Eu acho que esse governo vai se tornar ainda mais fascista e estou com muito medo pela democracia brasileira"; também explicou o envolvimento de empresa alemã no rompimento da barragem em Brumadinho; assista

Christian Russau: Alemanha não deve ter relações com governo fascista do Brasil
Christian Russau: Alemanha não deve ter relações com governo fascista do Brasil

247 - O cientista social e jornalista alemão Christian Russau conversou com a Tv 247 sobre a situação política brasileira e sobre a imagem do país internacionalmente. Ele opinou também sobre o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho - MG.

Segundo o jornalista, a certificadora alemã Tüv Süd fez duas vistorias na barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, uma em junho e outra em setembro, e atestou que a situação era normal. Russau conta que os alemães ficaram perplexos ao saberem do envolvimento da Tüv Süd no caso. "A gente ficou muito chocado quando assistimos as imagens do rompimento da barragem do Feijão e também ficamos chocados de ver que havia uma empresa alemã envolvida".

O jornalista explica que barragens a montante, como era a da Vale em Brumadinho, são as mais baratas mas também as mais perigosas. Em contrapartida, as barragens do tipo jusante são as mais seguras, porém podem chegar a custar até o dobro. "Isso as empresas que só pensam no lucro, e não na vida, não querem". Christian Russau ainda lembra que as barragens a montante já são proibidas em alguns países, como por exemplo no Chile.

Em outro momento da entrevista, o cientista social comentou acerca da situação política brasileira. "Eu que conheço o Brasil há 30 anos estou muito preocupado com a situação do país, com as pessoas, com esse desgoverno de extrema direita e com os discursos de ódio". Russau também afirma temer pela democracia do país. "Eu acho que esse governo vai se tornar ainda mais fascista e estou com muito medo pela democracia brasileira e pelos Direitos Humanos do Brasil".

O jornalista contou que o grupo de ativismo Fórum Resiste Brasil - Berlim cobra o governo alemão para que não se relacione com o Brasil. "Pressionamos o governo da Alemanha para que não faça visitas de Estado ao Brasil enquanto Bolsonaro é o presidente. Estamos também tentando informar as pessoas aqui sobre as atrocidades desse governo".

Sobre a prisão do ex-presidente Lula, Christian foi firme ao dizer que a prisão é injusta. "Lula de fato é um preso político, isso está claro, porque não se tem provas". Camila de Abreu é ativista e membro do Fórum Resiste Brasil - Berlim e também participou da entrevista, opinando sobre a situação de Lula. "Foi divulgado abertamente na mídia alemã que a campanha política do Bolsonaro foi baseada em mentiras e isso ajudou ainda mais no entendimento de que Lula é um preso político".

Ela também comentou sobre o exílio político do ex-deputado federal Jean Wyllys, que agora reside na Alemanha. Ela afirma que Berlim é uma cidade de resistência e conta que Jean Wyllys foi recebido com muita solidariedade pelos políticos alemães e pela sociedade em geral. Em evento com ativistas na Alemanha, Camila conta que o ex-deputado federal disse temer pela própria vida no Brasil, principalmente depois do assassinato da vereadora Marielle Franco. "Nós não precisamos de um mártir, precisamos de pessoas ativas na resistência política", comentou.

Inscreva-se na TV 247 e assista:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247