Coalizão de esquerda conquista governo da Espanha

Após meses de impasse e com um resultado apertado, o Parlamento espanhol confirmou nesta terça (7) Pedro Sánchez como novo premiê. Governo será composto por uma aliança formada entre o PSOE e o Unidas Podemos, com Pedro Iglesias como vice-premiê

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pela primeira vez desde a redemocratização, nos anos 1970, uma coalização de esquerda governará a Espanha. O Parlamento confirmou nesta terça (7) Pedro Sánchez como novo premiê - o governo será composto pelo PSOE e pelo Podemos.

O resultado foi apertado: 167 votos a favor e 165 contra, fora 18 abstenções. A Casa soma 350 deputados.

O PSOE tem 140 anos de história e se alterna no poder com o direitista PP desde a década de 1980. Criado em 2014, o Podemos adota uma postura mais combativa e defende temas como a igualdade de gênero, o combate à desigualdade social e os direitos LGBT.

Leia mais na Reuters:

Espanha forma governo de coalizão após vitória de Sánchez no Parlamento

Por Belén Carreño e Emma Pinedo

O primeiro-ministro interino da Espanha, Pedro Sánchez, gesticula enquanto fala durante debate no Parlamento em Madri, Espanha. 07/01/2020. REUTERS/Stringer

MADRI (Reuters) - O líder socialista espanhol, Pedro Sánchez, garantiu apoio do Parlamento com uma pequena maioria nesta terça-feira para formar um governo de coalizão, encerrando um longo impasse político.

Após quase um ano de governos interinos, Sánchez conquistou a maioria simples de que precisava —mais votos “sim” que “não”— por apenas dois votos de diferença, com o apoio de parlamentares de partidos regionais menores.

Ele e o aliado da coalizão, Pablo Iglesias, chefe do partido de esquerda Unidas Podemos, disseram que vão pressionar por aumentos de impostos de empresas e trabalhadores de alta renda, além de reverter as reformas trabalhistas aprovadas por um governo conservador anterior.

Entretanto, sem sólida maioria no Parlamento, a coalizão pode enfrentar dificuldades para aprovar a legislação e vai precisar negociar caso a caso com outros partidos.

“Acredito que possamos superar a atmosfera de irritação e tensão e que possamos recuperar um espaço para consenso e acordo”, afirmou Sánchez ao Parlamento antes da votação.

Sánchez conquistou o apoio de 167 dos 350 parlamentares do Congresso, em uma votação com 18 abstenções e 165 votos contra.

A ascensão de novos partidos na Espanha ao longo dos últimos cinco anos pôs um fim a décadas de políticas dominadas pelos socialistas e pelo Partido Popular, dificultando o processo de formação de governo e manutenção do poder.

Juntos, o Partido Socialista e o Podemos têm 155 assentos no altamente fragmentado Parlamento de 350 cadeiras.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247