Com Obama, Dilma promete desmatamento ilegal zero

Acordo firmado entre Brasil e Estados Unidos por compromissos para mitigar as causas da mudança do clima traz o comprometimento do Brasil em acabar com o desmatamento ilegal de florestas e restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030; durante reunião entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente dos EUA, Barack Obama, na Casa Branca, os dois países prometeram também aumentar a participação da energia renovável de fontes não hidrelétricas em suas matrizes energéticas para 20% até 2030

Washington - EUA, 30/06/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante reunião de trabalho com o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Washington - EUA, 30/06/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante reunião de trabalho com o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR (Foto: Gisele Federicce)

Gislene Nogueira - Correspondente da Agência Brasil/EBC

O Brasil e os Estados Unidos fecharam acordo bilateral de compromissos para mitigar as causas da mudança do clima. O Brasil se comprometeu a acabar com o desmatamento ilegal de florestas. O documento informa que o Brasil pretende restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030.

O Brasil e os Estados Unidos pretendem atingir a meta de 20% de participação de fontes renováveis em suas matrizes energéticas. O acordo foi fechado na visita da presidenta Dilma Rousseff aos Estados Unidos.

A Declaração Conjunta Brasil-Estados Unidos sobre Mudança do Clima afirma que o governo brasileiro implementará políticas para eliminação do desmatamento ilegal, em conjunto com o aumento ambicioso de estoques de carbono por meio de reflorestamento e da restauração florestal.

Das 100 maiores empresas do país, 82% já adotam ações de mitigação ou de adaptação às mudanças climáticas, revela pesquisa do Instituto Datafolha para o Observatório do Clima e para o Greenpeace, feita nos meses de março e abril deste ano.

As iniciativas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas são variadas: vão desde soluções para reduzir o consumo de água e energia (apontado por 40% das empresas) até ações para diminuição de poluentes (23%) e campanhas de educação e conscientização (12%).

"Muitas empresas adotam medidas para lidar com os desafios da mudança climática ou se preparam para adotar medidas para lidar com esses impactos e suas consequências, tal como a escassez de insumos como a água", disse Carlos Rittl, secretário executivo do Observatório do Clima.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247