Comandante de cruzeiro é detido e interrogado

Francesco Schettino acusado de abandonar o navio que naufragou na Itlia antes da retirada dos passageiros e de orientar os planos de resgate

Comandante de cruzeiro é detido e interrogado
Comandante de cruzeiro é detido e interrogado (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O comandante do navio Costa Concordia foi detido neste sábado, 14, pelo procurador-chefe da localidade, Francesco Versio. A embarcação naufragou na noite de sexta-feira na costa italiana. Segundo informações do jornal italiano "Corriere Della Sera", Francesco Schettino é acusado de abandonar o cruzeiro antes da retirada dos passageiros e de orientar os planos de resgate.

A publicação, que entrevistou o procurador, relatou que o comandante saiu da embarcação por volta das 23h30 enquanto a tripulação e passageiros aguardavam por sinais de evacuação. Apesar de a tripulação ser treinada para emergência a cada 15 dias, a equipe não conseguiu comandar a evacuação devido a grande inclinação da embarcação.

Versio foi ouvido por várias horas para explicar como conseguiu abandonar o navio que pilotava. O comandante transportava 4.229 passageiros, naufragando a 500 metros da ilha de Giglio, na região da Toscana. Outros dez passageiros também serão ouvidos pela polícia, no entanto, suas identidades não foram reveladas.

Uma repórter do Estadão estava a bordo e enviou relatos por mensagens de celular à redação do jornal. "Havia pânico; os rostos estavam desolados", disse Alana Rizzo, que está em férias, acompanhada dos pais. "Pode parecer óbvia a comparação com o Titanic, mas a sensação era essa".

O consulado do Brasil em Roma informou que 53 brasileiros estavam no navio. Três pessoas morreram, um peruano, que trabalhava como tripulante e dois franceses, 40 ficaram feridas e cerca de 70 estão desaparecidas. A embarcação de luxo levava ao todo cerca de 4.200 pessoas, sendo 3.200 passageiros e 1 mil tripulantes, e encalhou perto da Toscana.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email