Comandante militar diz que Rússia enfrenta quase todo o Ocidente na Ucrânia

Nunca em toda sua história moderna a Rússia enfrentou hostilidades da magnitude que enfrenta atualmente na Ucrânia, diz chefe militar

www.brasil247.com - General Valery Gerasimov, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Russas
General Valery Gerasimov, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Russas (Foto: Reuters)


Sputnik - Em entrevista, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Russas, Valery Gerasimov, diz que Moscou trava uma batalha contra forças de quase todo o Ocidente.

Nunca em toda sua história moderna a Rússia enfrentou hostilidades da magnitude que enfrenta atualmente na Ucrânia.

A declaração foi dada nesta segunda-feira (23), pelo chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, Valery Gerasimov, em entrevista ao portal russo AiF. Gerasimov disse que as Forças Armadas russas estão sendo confrontadas por forças provenientes de quase todo o Ocidente.

"A Rússia moderna nunca conheceu tamanho nível e intensidade de hostilidades. Nosso país e suas Forças Armadas hoje são combatidos por quase todo o Ocidente em coletivo", disse o general.

Segundo ele, para estabilizar a situação, proteger novos territórios e realizar ações ofensivas, foi realizada uma mobilização parcial. Tais eventos, observou Gerasimov, não aconteciam desde a Grande Guerra Patriótica.

Ele destacou que agora as Forças Armadas estão tomando as medidas necessárias para atingir os objetivos da operação especial traçados pelo presidente russo, Vladimir Putin. Ademais, elas também estão atuando para garantir a segurança da Rússia, levando em consideração as ameaças militares existentes.

Em 11 de janeiro, o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, nomeou Valery Gerasimov, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Russas, comandante de um grupo de forças na zona de uma operação militar especial.

Desde 24 de fevereiro, uma operação especial está ocorrendo na Ucrânia. Vladimir Putin chamou sua tarefa de "a proteção de pessoas que foram submetidas à intimidação e genocídio pelo regime de Kiev por oito anos". Segundo o presidente, o objetivo final é a libertação de Donbass e a criação de condições que garantam a segurança da própria Rússia.

Ao mesmo tempo, o chefe de Estado enfatizou repetidamente que Moscou está pronta para negociações, pois busca não girar o volante do conflito ucraniano, mas acabar com ele.

Os países ocidentais, por sua vez, falam constantemente sobre a necessidade de continuar as hostilidades, abastecendo as autoridades de Kiev com armas e treinando combatentes das Forças Armadas da Ucrânia em seu território. O Kremlin afirmou repetidamente que o fornecimento de armas apenas prolonga o conflito, e o transporte de armas se torna um alvo legítimo do exército russo.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247