Começa a vigorar veto dos EUA a comércio com a Huawei

Agências governamentais dos Estados Unidos serão proibidas de assinar acordos comerciais com a empresa chinesa Huawei, alvo de restrições desde maio passado, e outras empresas da China

Prensa Latina - Agências governamentais dos Estados Unidos serão proibidas de assinar acordos comerciais com a empresa chinesa Huawei, alvo de restrições desde maio passado, e outras empresas da China.  

Lançada há seis dias, no contexto da guerra comercial de Washington contra Pequim, a regulamentação correspondente impede que entidades norte-americanas comprem equipamentos de informática e telecomunicações, ou seus componentes substanciais nesse mercado.  

Como parte do regulamento, além da Huawei, as empresas chinesas ZTE, Hytera Communications Corporation, Hangzhou Hikvision Technology Company e Dahua Technology Company também estão incluídas.  

Em 20 de maio, o Departamento de Comércio dos EUA tinha decidido decidiu adiar a aplicação de sanções à Huawei por três meses.   

O Ministério das Relações Exteriores da China disse que Pequim apoiaria as empresas nacionais para defender os seus direitos legítimos através de canais legais.  

A Huawei, com sede na cidade de Shenzhen, rejeitou a medida americana, que descreveu como inesperada, e também questionou sua constitucionalidade.  

A empresa também afirmou que continuará a denunciar as ações da administração Trump nos tribunais federais dos EUA.  

O comunicado alerta que "em última análise, serão os moradores das áreas rurais dos Estados Unidos que serão afetados, já que as redes que eles usam para a conexão digital dependem da Huawei".  

Washington tem entre seus objetivos restringir a liderança da empresa chinesa na implantação da rede 5G de quinta geração.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247