CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Compromisso de Elon com a livre expressão é 'piada sem graça', diz jornalista britânico banido pelo X

Kit Klarenberg, jornalista investigativo britânico, conta para Brian Mier como seu perfil foi banido pelo X (ex-Twitter)

(Foto: Reprodução)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Brian Mier para o 247 - Kit Klarenberg é uma jornalista investigativo que explora o papel dos serviços de inteligência na formação da política e das percepções, e que trabalha para o portal de notícias internacional Greyzone. Nesta entrevista exclusiva para o Brasil 247, ele conta por que acredita que Elon Musk está censurando-o.

Brian Mier: Você pode explicar quando foi removido do X e como descobriu isso?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Kit Klarenberg: Fui removido da plataforma em meados de fevereiro. Entrei no Twitter um dia e fui informado de que minha conta estava em modo de "apenas leitura", ou seja, não podia postar nada, nem entrar em contato com ninguém particular ou publicamente, nem mesmo curtir tweets. Minhas mensagens diretas, nas quais eu conversava com amigos, fontes jornalísticas e críticos, desapareceram. Recorri da decisão várias vezes e recebi datas conflitantes sobre quando seria permitido retornar - um mês, três meses, ou nunca. O Twitter eventualmente parou de responder aos meus e-mails. Fico lisonjeado e grato pelo fato de que literalmente todos os dias as pessoas estão perguntando por que fui expurgado e exigindo minha reintegração. Vi alguém dizer que o Twitter não pode ser um aplicativo de livre expressão enquanto eu permanecer no exílio, o que significou muito. E é verdade.

Brian: Deram-lhe uma razão para a sua remoção da plataforma? Concorda com ela? Qual é a verdadeira razão pela qual acha que foi removido?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Kit: A razão oficial foi incitar à violência. Isso apesar de condenar consistentemente toda a violência - em particular, o genocídio palestino. Parece que o meu verdadeiro crime foi confrontar os sionistas que aplaudiam as forças de ocupação israelenses enquanto elas violavam, saqueavam e assassinavam pelo território de Gaza. Fui alvo de denúncias em massa - incluindo de usuários que abertamente me advogaram ser "agredido diariamente" por causa das minhas opiniões políticas, e que eles próprios não foram banidos - e isso parece ter desencadeado a remoção automaticamente. Geralmente, porém, este tipo de remoções são temporárias e os usuários são reintegrados se houver ruído suficiente sobre o assunto. Houve uma enorme quantidade de ruído sobre a minha suspensão, mas nenhuma ação foi tomada para corrigir. Isso sugere para mim que palavras podem ter sido trocadas diretamente com Musk. Poderia ter sido meus caros amigos nos serviços de inteligência britânicos, que me detiveram e interrogaram por cinco horas sem direito ao silêncio enquanto eu era digitalmente revistado e cada aspecto da minha vida pessoal e profissional era examinado minuciosamente, na última vez que voei para Londres. Quando nós, do The Grayzone, divulgamos arquivos vazados do Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico, o Twitter criou uma etiqueta especial para quando alguém compartilhava nossas investigações, alertando os usuários "esses materiais podem ter sido obtidos por meio de hacking". Um membro da 77ª Brigada, a unidade de guerra nas redes sociais do Exército Britânico, trabalhava para o Twitter na época, o que eu expus dois anos antes. Musk os demitiu depois que comprou a empresa. Não seria surpreendente se ele tivesse algo a remediar como resultado, e eu fui um cordeiro sacrificial, para provar seu compromisso com a censura da dissidência online às autoridades.

Brian: Qual é a sua opinião sobre o compromisso de Elon Musk com a liberdade de expressão no Twitter?

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Kit: É obviamente uma piada e, particularmente, sem graça. Não me surpreenderia se Musk, um contratado do Pentágono conectado ao estado profundo, estivesse encorajando as pessoas a dizerem o que quiserem na plataforma para que isso possa ser usado contra elas em um tribunal posteriormente. Isso é particularmente preocupante, considerando que Musk quer que o X seja um aplicativo "tudo em um", no qual as pessoas usem para serviços bancários, encontros, compras, anúncios de emprego e mais. Mas claramente, as pessoas não podem dizer o que quiserem de qualquer maneira; existem limites rigorosos e áreas proibidas não ditas. Por exemplo, camaradas ainda nesta plataforma infernal me dizem que há um aumento maciço cada vez maior de conteúdo pró-Israel, com a solidariedade à Palestina sufocada. É uma ferramenta muito útil de controle da narrativa imperial para que pessoas que dizem e pensam coisas "erradas" se tornem populares e sejam ouvidas. Sempre que Musk posta algo bombástico sobre como está salvando a liberdade de expressão - o que é quase diário - meus aliados perguntam diretamente a ele por que e como ainda estou suspenso. Até agora, ele não respondeu. Enquanto isso, ele comentou sobre a suspensão do repugnante supremacista branco Lucas Gage, corretamente banido por advogar o assassinato de judeus. Gage foi reintegrado após três meses. Veremos se eu serei.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO