Congressistas se articulam para tirar Trump da Casa Branca

Reportagem da revista New Yorker afirma que congressistas dos Estados Unidos estão mantendo "conversas privadas" sobre a possibilidade de retirar o republicano da Presidência do país; após 100 primeiros dias tumultuados de governo, a publicação aponta duas formas de Trump deixar a Presidência: por meio de um processo de impeachment, ou pela 25ª emenda da Constituição do país, que permite que um presidente perca o cargo se for considerado mentalmente incapaz de ocupar o posto; neste ano, mais de 53 mil profissionais de saúde mental assinaram uma petição na qual asseguram que Trump "manifesta uma grave enfermidade mental que o faz ser incapaz de desempenhar completamente as suas funções de presidente"

Donald Trump durante evento em Ames, Iowa. 18/7/2015. REUTERS/Jim Young
Donald Trump durante evento em Ames, Iowa. 18/7/2015. REUTERS/Jim Young (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Uma reportagem publicada neste fim de semana pela revista New Yorker afirma que congressistas dos Estados Unidos estão mantendo "conversas privadas" a respeito da possibilidade de retirar o republicano da Presidência do país.

Após 100 primeiros dias tumultuados de governo, deputados e senadores do Congresso norte-americano vêm discutindo as possibilidade de Trump concluir o seu mandato ou não, sobretudo com a profusão de escândalos já mencionados em sua gestão.

A publicação aponta duas formas de Trump deixar a Presidência: por meio de um processo de impeachment, ou pela 25a emenda da Constituição do país, que permite que um presidente perca o cargo se for considerado mentalmente incapaz de ocupar o posto.

Em entrevista ao programa 'The Last Word' da rede MSNBC, o autor do artigo Evan Osnos disse que essas conversas vêm acontecendo em mesas de jantares e a pergunta gira em torno das dúvidas quanto às capacidades de Trump.

Há um forte temor de uma "crise constitucional" se Trump seguir até o fim do governo, principalmente com investigações acerca da ligação do presidente com a Rússia, e existe ainda a perspectiva do presidente não estar disposto a colaborar com o Congresso.

Se não for por meio de um impeachment, Trump pode ser removido pelo que prevê a 25a emenda, adicionada em 1967, e que prevê que o vice-presidente, a maioria do gabinete, ou um grupo independente de médicos, por exemplo, indicados pelo Congresso, poderiam atestar a incapacidade do presidente de seguir no cargo.

Se houver objeção presidencial, dois terços das duas Casas do Congresso são necessárias para removê-lo.

Neste ano, mais de 53 mil profissionais de saúde mental assinaram uma petição na qual asseguram que Trump "manifesta uma grave enfermidade mental que o faz ser incapaz de desempenhar completamente as suas funções de presidente".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247