CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Congresso dos EUA aprova ajuda militar à Ucrânia

Aposta dos EUA é melhorar capacidade de resistência do regime de Zelensky à Rússia

Congresso dos EUA (Foto: Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Reuters - Um amplo pacote de ajuda militar externa foi facilmente aprovado pelo Congresso dos Estados Unidos na noite de terça-feira (23), após meses de atraso, abrindo caminho para bilhões de dólares em novos financiamentos para a Ucrânia. O Senado aprovou por 79 votos a 18 quatro projetos de lei aprovados pela Câmara dos Deputados no sábado, depois que os líderes republicanos da Câmara mudaram abruptamente de rumo na semana passada e permitiram a votação dos US$ 95 bilhões em ajuda principalmente militar para Ucrânia, Israel e Taiwan e parceiros dos EUA no Indo-Pacífico.

Os quatro projetos de lei foram combinados em um pacote no Senado, que o presidente Joe Biden disse que sancionaria nesta quarta-feira (24).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse estar grato aos legisladores dos EUA por aprovarem ajuda “vital” à Ucrânia.

“Esta votação reforça o papel da América como farol da democracia e líder do mundo livre”, disse Zelensky num comunicado publicado na aplicação de mensagens Telegram.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O maior fornece 61 bilhões de dólares em financiamento para a Ucrânia; um segundo fornece 26 bilhões de dólares para Israel e ajuda humanitária para civis em zonas de conflito em todo o mundo, e um terceiro destina 8,12 bilhões de dólares para “combater a China comunista” no Indo-Pacífico.

Uma quarta, que a Câmara acrescentou ao pacote na semana passada, inclui uma potencial proibição da aplicação da rede social TikTok, controlada pela China, medidas para a transferência de bens russos apreendidos para a Ucrânia e novas sanções ao Irã.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Este projeto de lei de segurança nacional é uma das medidas mais importantes que o Congresso aprovou em muito tempo para proteger a segurança americana e a segurança da democracia ocidental”, disse o líder da maioria democrata, Chuck Schumer, em entrevista coletiva após a votação.

O pacote de ajuda poderá ser o último aprovado para a Ucrânia até as eleições de novembro, quando a Casa Branca, a Câmara dos Representantes e um terço do Senado estarão em disputa.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Grande parte da oposição à assistência de segurança, tanto na Câmara como no Senado, veio de republicanos com laços estreitos com o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, um cético em relação à ajuda à Ucrânia que tem enfatizado as políticas "América em primeiro lugar" enquanto procura um segundo mandato.

O líder republicano do Senado, Mitch McConnell, um forte defensor da ajuda à Ucrânia, lamentou o atraso, em grande parte devido às objeções dos republicanos linha-dura em adicionar mais aos 113 mil bilhões de dólares que Washington tinha autorizado para Kiev desde que a Rússia iniciou a sua invasão em grande escala em Fevereiro de 2022.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Acho que superamos o movimento isolacionista”, disse McConnell em entrevista coletiva.

Foi a segunda vez este ano que o Senado liderado pelos Democratas aprovou ajuda de segurança para a Ucrânia, Israel e o Indo-Pacífico. O último projeto de lei, há mais de dois meses, obteve 70% de apoio na câmara de 100 membros de republicanos e democratas. Mas os líderes da Câmara controlada pelos republicanos não permitiram uma votação sobre a ajuda externa até à semana passada.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O progresso da legislação tem sido acompanhado de perto pela indústria, com empresas de defesa dos EUA a concorrerem a grandes contratos para fornecer equipamento à Ucrânia e a outros parceiros dos EUA.

Os especialistas esperam que os gastos suplementares aumentem a carteira de pedidos da RTX Corp (RTX.N), abre uma nova aba junto com outras grandes empresas que recebem contratos governamentais, como Lockheed Martin (LMT.N), abre uma nova aba, General Dynamics (GD .N), abre nova aba e Northrop Grumman (NOC.N), abre nova aba.

A Câmara aprovou o financiamento para a Ucrânia por 311-112, com todos os votos "não" vindos dos republicanos, muitos dos quais se opuseram veementemente a mais assistência a Kiev. Apenas 101 republicanos votaram a favor, forçando o presidente Mike Johnson a contar com o apoio democrata e provocando apelos para a sua destituição do cargo de líder da Câmara.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO