Congresso dos EUA se reúne hoje para certificar a vitória de Biden. Trump promete confronto

O Congresso dos EUA certifica nesta quarta-feira (6) a vitória do democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral. Donald Trump anunciou que irá discursar num comício em seu apoio perto da Casa Branca. Seus partidários podem tumultuar a sessão congressual levantando alegações infundadas de fraude

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden
Presidente eleito dos EUA, Joe Biden (Foto: REUTERS/Mike Segar)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O último passo para reafirmar a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro vai ocorrer nesta quarta-feira (6) no Congresso dos Estados Unidos.

A Câmara e o Senado se reunirão para a contagem e certificação dos votos do Colégio Eleitoral. O democrata conquistou 306 votos, contra 232 de Donald Trump.

Partidários do presidente prometem tumultuar a sessão do congresso com alegações infundadas sobre fraude eleitoral, o que pode atrasar o processo de certificação que normalmente seria apenas uma formalidade.

O processo de certificação pode demorar mais do que o normal. Dezenas de legisladores republicanos da Câmara e do Senado permanecem fiéis a Trump e prometem fazer ouvir suas reivindicações.

Mas nada disso deve mudar o fato de que Biden tomará posse em 20 de janeiro. O Colégio Eleitoral se reuniu em dezembro e escolheu formalmente Joe Biden como o próximo presidente. Ao Congresso cabe chancelar.

Trump confirmou que vai falar em um comício, em Washington, convocado por seus simpatizantes, informa o G1.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email