HOME > Mundo

Conselho de Segurança da ONU não aprova resolução dos EUA sobre cessar-fogo imediato em Gaza

Resolução desta vez foi vetada pela Rússia e China

Faixa de Gaza. Foto: Reuters

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Reuters - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) não conseguiu aprovar nesta sexta-feira uma resolução que pedia um cessar-fogo imediato em Gaza como parte de um acordo para a libertação de reféns, depois que a Rússia e a China, que são membros permanentes e possuem poder de veto, votaram contra a medida proposta pelos Estados Unidos.

A resolução pedia um "cessar-fogo imediato e sustentado" com duração de aproximadamente seis semanas, que protegeria os civis e permitiria a entrega de assistência humanitária.

"A grande maioria deste conselho votou a favor desta resolução, mas infelizmente a Rússia e a China decidiram exercer o seu veto", disse a embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, ao Conselho de Segurança.

Antes da votação, ela disse que seria um "erro histórico" o conselho não adotar a resolução.

O embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, também falando antes da votação, apelou aos membros para não votarem de forma favorável.

Ele disse que a resolução era "extremamente politizada" e continha sinal verde para Israel realizar uma operação militar em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza, onde mais da metade dos seus 2,3 milhões de residentes estão abrigados em tendas improvisadas para escapar do ataque israelense mais ao norte.

"Isto libertaria as mãos de Israel e faria com que toda Gaza e toda a sua população enfrentassem destruição, devastação ou expulsão", disse Nebenzia na reunião.

Ele disse que vários membros não permanentes do Conselho de Segurança redigiram uma resolução alternativa, que ele chamou de documento equilibrado, e disse que não havia razão para os membros não apoiá-la.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados