Coreia do Norte celebra 110.º aniversário do nascimento de Kim Il-sung

Na Coreia do Norte, Kim Il-sung é reverenciado como "o grande líder do povo coreano" e "o Sol da nação"

www.brasil247.com -


TASS - 15 de abril de 2022 marcou 110 anos desde o nascimento de Kim Il-sung, fundador da Coreia do Norte.

Origem e educação

Kim Il-sung, nascido Kim Song-ju (traduzido do coreano como "tornar-se um apoio"), nasceu em 15 de abril de 1912 na vila de Mangyongdae, perto de Pyongyang, na família de um professor rural. Em 1920, durante a ocupação japonesa da Coreia, emigrou com os pais para a Manchúria (Nordeste da China). Kim Il-sung estudou em uma das escolas de ensino médio na província chinesa de Jilin (no nordeste do país).

Membro do movimento de libertação

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aos 14 anos, Kim Il-sung se juntou a um grupo marxista clandestino criado por uma organização ilegal local da Liga da Juventude Comunista da China. Em 1929, ele foi preso pela polícia da Manchúria e encarcerado até a primavera de 1930.

Em 1931, tornou-se membro do movimento guerrilheiro anti-japonês na China. Durante este período, ele ficou conhecido como Kim Il-sung (traduzido como "o sol nascente"). Em junho de 1937, guerrilheiros liderados por Kim Il-sung invadiram o território coreano controlado pelos japoneses e atacaram a pequena cidade de Pochonbo, após o que os japoneses criaram uma unidade especial para capturar os participantes desta operação. No final de 1940, fugindo da perseguição japonesa, seu destacamento mudou-se para o território da União Soviética e foi incluído no Exército Vermelho. Em 1941-1942, Kim Il-sung participou da luta contra os japoneses no sudeste da Manchúria. Em 1942, ele recebeu a patente de capitão e chefiou o primeiro batalhão da 88ª Brigada de Rifle Separada, baseada perto de Khabarovsk.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após a libertação da Coreia pelas tropas soviéticas em agosto de 1945, Kim Il-sung retornou a Pyongyang.

Líder do partido e do país

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em dezembro de 1945, Kim Il-sung chefiou o Escritório Norte-coreano do Partido Comunista Coreano e, em fevereiro de 1946, foi nomeado presidente do Comitê Popular Provisório da Coreia do Norte, o governo interino que opera na parte norte da Península Coreana (após o fim da Segunda Guerra Mundial, por acordo entre os Estados Unidos e a União Soviética, foi dividido em zonas de ocupação americana e soviética; a linha divisória passou ao longo do Paralelo 38 - a parte sul entrou na esfera de responsabilidade dos EUA, a parte norte - a URSS). Ele ocupou este cargo até a fundação da República Popular Democrática da Coreia (RPDC, Coreia do Norte) em 9 de setembro de 1948, criada em resposta à proclamação da República da Coreia (ROK, Coreia do Sul) um mês antes. No mesmo dia, Kim Il-sung foi nomeado Presidente do Gabinete de Ministros (até dezembro de 1972). Seu governo embarcou na nacionalização da terra e da indústria e na criação de uma economia planejada. Em 1949, foi eleito Presidente do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia (o PTC; em 1966-1994 - Secretário Geral do PTC).

Nos primeiros dias da guerra com a República da Coreia (1950-1953), chefiou a Comissão de Defesa Nacional. Na guerra, nenhum dos lados conseguiu obter vantagem. Como resultado, uma zona desmilitarizada divisória foi estabelecida ao longo do paralelo 38, onde a frente se estabilizou em julho de 1953 (ainda existe; como a Coreia do Sul se recusou a assinar um acordo de armistício, os países ainda estão em guerra). A infraestrutura da RPDC foi completamente destruída pela aviação americana (os EUA apoiaram a ROK), os danos causados ​​ao país foram estimados em US$ 3 bilhões.

Em 1954, o governo de Kim Il-sung começou a implementar um plano de reconstrução pós-guerra e desenvolvimento da economia nacional, com a ajuda da URSS (o crescimento da economia norte-coreana naquela época superava significativamente o da Coreia do Sul). Em 1955, Kim Il-sung declarou a necessidade de construir um "estado autossuficiente" (Juche). Esta ideologia tornou-se oficial, substituindo o marxismo-leninismo. Um dos elementos mais importantes do Juche é a tese "o homem é o dono do seu destino". Desde então, o culto à personalidade de Kim Il-sung começou a se formar no país. Na década de 1960, a RPDC, jogando com as contradições entre a China e a URSS, recebeu ajuda de ambos os países.

A constituição adotada em 1972 consagrou o papel de liderança e orientação do PTC e introduziu o cargo de presidente da RPDC - Kim Il-sung assumiu. Desde então, ele estabeleceu um curso para o desenvolvimento de armas nucleares e simultaneamente iniciou um diálogo inter-coreano. Assim, em maio de 1972, Kim Il-sung apresentou três princípios fundamentais de unificação dos dois países - independência, unificação pacífica e consolidação nacional. Em 1991, foi assinada a Declaração Norte-Sul sobre o Status Livre de Armas Nucleares da Península e estabelecido o Fundo para Cooperação Intercoreana.

Os lados discutiram planos de unificação com base na confederação, mas após a morte de Kim Il-sung em 1994, o diálogo foi interrompido.

Décadas de controle rígido do Estado liderado por Kim Il-sung, deslocando a economia para a indústria pesada e complexo militar-industrial, o término da ajuda externa devido ao colapso da URSS e do campo socialista levaram ao colapso da economia do país. De acordo com especialistas internacionais (a Coreia do Norte não publica estatísticas econômicas desde a década de 1960), no final do governo de Kim Il-sung a economia norte-coreana encolheu pela metade em relação ao final da década de 1980, e após sua morte o país enfrentou fome (este ficou na história como "a Marcha do Sofrimento") - matou de 600.000 a 2 milhões de pessoas.

Para alimentar a população, o governo teve que solicitar ajuda humanitária internacional.

Morte e memória

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Kim Il-sung morreu por causa de um ataque cardíaco em 8 de julho de 1994. Na Coreia do Norte, Kim Il-sung é reverenciado como "o grande líder do povo coreano" e "o Sol da nação". O Palácio do Sol de Kumsusan, onde Kim Il-sung trabalhou durante sua vida, foi transformado no Palácio Memorial, onde seu corpo em sarcófago é mantido. Em 1997 foi estabelecida a cronologia Juche, cujo primeiro ano foi 1912, o ano do nascimento de Kim Il-sung, com 15 de abril, seu aniversário, como o Dia do Sol. A constituição adotada em setembro de 1998 estipulava que Kim Il-sung, que desenvolveu o Juche, era o "presidente eterno" da RPDC.

O estádio de futebol em Pyongyang, a principal universidade norte-coreana e a praça central de Pyongyang têm o nome de Kim Il-sung.

Continuidade

Durante a vida de Kim Il-sung, seu filho Kim Jong-il foi nomeado sucessor oficial do líder. Em 8 de outubro de 1997, no final do período de luto, Kim Jong-il foi eleito secretário-geral do PTC.

De acordo com as emendas à constituição de 1998, a instituição da presidência foi abolida, e o cargo de presidente da Comissão de Defesa Nacional, que Kim Jong-il ocupava desde 1993, tornou-se o cargo mais alto do estado. Após a morte repentina de Kim Jong-il em 17 de dezembro de 2011, o filho mais novo de Kim Jong-il, Kim Jong-un, foi nomeado sucessor do líder da RPDC (ele ocupou todos os cargos mais altos do governo desde 13 de abril de 2012).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email