Coreia do Norte prepara exército para guerra

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou às forças estratégicas do Exército Popular da Coreia que estejam preparadas para o combate, que pode começar em qualquer momento

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou às forças estratégicas do Exército Popular da Coreia que estejam preparadas para o combate, que pode começar em qualquer momento
O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou às forças estratégicas do Exército Popular da Coreia que estejam preparadas para o combate, que pode começar em qualquer momento (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou às forças estratégicas do Exército Popular da Coreia que estejam preparadas para o combate, que pode começar em qualquer momento.

A ordem foi dada durante o lançamento de mísseis realizado ontem (6), informa a Agência Central de Notícias da Coreia (ACNC ou KCNA, na sigla em inglês).

O lançamento foi levado a cabo pelas forças estratégicas Hwasong, cuja missão é atacar as bases americanas no Japão.

De acordo com ACNC, Kim Jong-un assistindo os testes disse: "Em caso de situação perigosa uma vez que em qualquer momento a guerra pode começar, manter alto nível de prontidão, ocupar as posições necessárias e atacar o inimigo logo que receber a ordem".

Na segunda-feira (6), a mídia informou que a Coreia do Norte disparou quatro mísseis balísticos. Três atingiram a zona econômica exclusiva do Japão, provocando uma reação negativa de Seul, Tóquio e seus aliados. 

Os exercícios de treinamento militar entre os EUA e a Coreia do Sul, que estão programados para continuar até abril, foram classificados por Pyongyang como provocação.

A Coreia do Sul e o Japão convocaram o Conselho Nacional de Segurança de seus países com caráter de urgência por conta do novo lançamento de mísseis por parte da Coreia do Norte.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247