Criança é achada morta no trem de pouso de um voo da Costa do Marfim para Paris

O menor, de aproximadamente 10 anos, havia se infiltrado no avião da Air France em Abidjã e escondeu-se no poço, o espaço onde se acoplam as rodas da aeronave após a decolagem.

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O cadáver de um menino foi achado nesta manhã no trem de pouso de um avião da Air France que acabava de aterrissar no aeroporto Charles do Gaulle, em Paris, procedente de Abidjã, capital econômica da Costa do Marfim. A informação é do Portal El País Brasil. 

A reportagem relata que o menor tinha “aproximadamente 10 anos”, segundo uma fonte próxima à investigação citada pela agência France Presse. Escondeu-se no poço, o espaço onde se acoplam as rodas da aeronave após a decolagem.

Não se conhece a identidade do falecido, nem os motivos exatos que o levaram a se infiltrar no avião. A 50 graus abaixo de zero e com escasso oxigênio, os riscos são enormes, embora existam casos em que os infiltrados sobreviveram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247