D. Odilo: Conclave não é corrida política

Cardeal brasileiro e um dos favoritos para suceder o papa emérito Bento 16 pediu aos fiéis que confiem na igreja e citou "tempo difícil"; conclave está marcado para a manhã desta terça-feira (13h30 em Brasília)

D. Odilo: Conclave não é corrida política
D. Odilo: Conclave não é corrida política
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Apontado como um dos cardeais favoritos para suceder o papa emérito Bento 16, o brasileiro Odilo Scherer, 63, rebateu ontem especulações sobre o conclave.

"Não se trata de uma corrida política, não se trata de campanha. Trata-se realmente de entrar num clima de oração e acolhida para aquilo que Deus quer que seja para a sua igreja", afirmou após celebrar sua última missa em Roma antes das votações secretas.

"A gente pede que todos se unam a nós [cardeais] em oração pelo conclave, pela escolha daquele que será o sucessor de Pedro", acrescentou.

Na cerimônia, pediu em italiano que os fiéis confiem na igreja e citou um "tempo difícil", sem citar os escândalos que atingiram o Vaticano durante o pontificado de Bento 16.

Leia ainda o noticiário da Agência Brasil sobre a preparação do conclave:

Renata Giraldi
Enviada Especial ao Vaticano – Na véspera, hoje (11), do início do conclave (quando será eleito o papa), os cardeais se reúnem para o último encontro preliminar no Vaticano. Contadas as reuniões que ocorreram duas vezes ao dia, esta será a décima. Os 158 cardeais, incluindo os 115 que votarão na eleição do sucessor do papa emérito Bento XVI, comparecerão ao encontro que ocorrerá apenas de manhã. A expectativa é que sejam definidos os últimos detalhes para a assembleia de amanhã (12).

A reunião de hoje está marcada para começar às 9h30 (13h30 em Brasília) e deverá terminar por volta do meio-dia (16h de Brasília), quando o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, concederá entrevista. Em geral, nessas reuniões os cardeais discutem questões filosóficas e práticas da Igreja Católica Apostólica Romana.

O tema, porém, que tem predominado em todos os encontros é o perfil do sucessor de Bento XVI. Sem fornecer detalhes, Lombardi reitera que, guiados pelo Espírito Santo, os cardeais elegerão aquele que manterá a Igreja unida. Nas missas celebradas ontem (10), cardeais e padres citaram a Parábola do Filho Pródigo – aquele que é perdoado pelo pai após esbanjar os bens de família – para ressaltar a importância do perdão e da reconciliação.

Cotado para ser eleito papa, o arcebispo de São Paulo, dom Odilo Pedro Scherer, de 63 anos, celebrou missa de quase uma hora e meia. Nela, ele mencionou as palavras “perdão”, “reconciliação” e “conciliação” várias vezes. Dom Odilo lembrou que a Páscoa é o tempo de reconciliar e pediu reflexão a todos.

“Não basta só o perdão individual, é preciso pensar na humanidade, no perdão interior. É o perdão completo para se restituir a dignidade”, disse dom Odilo, ressaltando que a eleição do papa tem provocado grande interesse pela Igreja Católica Apostólica Romana 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247