Depois de NY, Paris pressiona contra evento com Bolsonaro

O Ministério da Economia da França vai sediar um evento organizado por entidades patronais para promover oportunidades de negócios no Brasil; o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo da Presidência, foi convidado, mas ONGs e ativistas franceses, suíças, belgas e brasileiros já pedem para que o governo de Emmanuel Macron não ofereça "tapete vermelho à extrema direita do Brasil" e que o evento seja cancelado

Depois de NY, Paris pressiona contra evento com Bolsonaro
Depois de NY, Paris pressiona contra evento com Bolsonaro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A exemplo do que aconteceu em Nova York, onde o presidente Jair Bolsonaro não conseguiu ser homenageado em três locais diferentes por conta de protestos, entidades em Paris se mobilizam para que a extrema-direita representada pelo governo brasileiro não seja recebida na capital francesa.

Segundo reportagem do jornalista Jamil Chade, o Ministério da Economia da França vai sediar um evento organizado por entidades patronais para promover oportunidades de negócios no Brasil e o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, é um dos principais convidados.

ONGs e ativistas franceses, suíças, belgas e brasileiros, no entanto, estão pedindo para que o governo do presidente Emmanuel Macron não ofereça "tapete vermelho à extrema direita do Brasil", representada pelo presidente Jair Bolsonaro, e que o evento seja cancelado.

Entre as entidades que estão liderando a iniciativa estão Act Up-Paris, Amazon Watch, ATTAC, Centre de recherche et d'information pour le développement (CRID), Emmaüs International, France Libertés – Fondation Danielle Mitterrand, Planète Amazone. Além de um protesto formal, o grupo lançou esta quarta-feira um baixo-assinado e publicou uma tribuna no jornal Libération, um dos principais veículos em Paris.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247