Deu calote no FMI e foi ao Twitter

""Nosso objetivo é mudar a dinâmica de poder. Nossa prioridade é cumprir os nossos compromissos eleitorais", escreveu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que foi ao Twitter pouco depois da notícia de que a Grécia não pagará a parcela de 1,6 bilhão de euros em empréstimos do FMI nesta terça-feira; "Nós temos justiça do nosso lado. Se pudermos superar o medo, então não há nada a temer", acrescentou

""Nosso objetivo é mudar a dinâmica de poder. Nossa prioridade é cumprir os nossos compromissos eleitorais", escreveu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que foi ao Twitter pouco depois da notícia de que a Grécia não pagará a parcela de 1,6 bilhão de euros em empréstimos do FMI nesta terça-feira; "Nós temos justiça do nosso lado. Se pudermos superar o medo, então não há nada a temer", acrescentou
""Nosso objetivo é mudar a dinâmica de poder. Nossa prioridade é cumprir os nossos compromissos eleitorais", escreveu o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que foi ao Twitter pouco depois da notícia de que a Grécia não pagará a parcela de 1,6 bilhão de euros em empréstimos do FMI nesta terça-feira; "Nós temos justiça do nosso lado. Se pudermos superar o medo, então não há nada a temer", acrescentou (Foto: Gisele Federicce)

247 - O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, foi ao Twitter pouco depois da notícia de que a Grécia não pagará a parcela de 1,6 bilhão de euros em empréstimos do FMI nesta terça-feira. "Nosso objetivo é mudar a dinâmica de poder. Nossa prioridade é cumprir os nossos compromissos eleitorais", escreveu, reproduzindo declarações que deu a uma televisão pública.

"Esta é uma tentativa de bloquear qualquer política alternativa já vista - esta é claramente uma opção política", publicou ainda o premiê na rede social. "Nós temos justiça do nosso lado. Se pudermos superar o medo, então não há nada a temer", acrescentou Tsipras, informando que seu governo insistirá pela negociação.

O primeiro-ministro pediu hoje que os gregos rejeitem um acordo de ajuda internacional no referendo de 5 de julho, ignorando alertas de que um voto pelo "não" levaria Atenas à saída da unidade monetária da Europa. "Eu não acho que o plano deles seja expulsar a Grécia da zona do euro, mas acabar com as esperanças de que pode haver políticas diferentes na Europa", disse.

Confira abaixo algumas de suas diversas mensagens publicadas nesta tarde, em inglês: 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247