Discurso de Pompeo em convenção republicana é criticado como violação da lei

A participação de Mike Pompeo na segunda jornada da convenção republicana foi alvo de críticas por violar a Lei Hatch de 1939, que impede servidores federais de se envolverem em certas atividades políticas

Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA
Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA (Foto: Nicholas Kamm/Pool / Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O secretário de Estado dos Estados Unidos falou na convenção republicana desde Jerusalém, onde se encontra em viagem pelo Oriente Médio. 

O discurso de Pompeo foi gravado em vídeo na noite de segunda-feira da cobertura do famoso King David Hotel em Jerusalém, tendo a Cidade Velha como plano de fundo.

O Departamento de Estado afirmou que a decisão de Pompeo de fazer um breve discurso para a convenção foi tomada em sua capacidade pessoal e não envolveu recursos do governo. Mas deixou muitos diplomatas estupefatos, informa O Estado de S.Paulo.

“Você pode argumentar que os recursos do governo dos EUA não estão sendo usados”, disse um ex-diplomata, que, como outros, falou sob condição de anonimato. “Mas ele não está falando como secretário de Estado? Ele está falando como um 'João Ninguém'? Acho que não."

A vice-gerente de campanha do democrata Joe Biden, Kate Bedingfield, disse que a decisão de Pompeo de fazer um discurso político durante uma missão no exterior é um “uso descarado do cargo para objetivos abertamente políticos” que mina o trabalho essencial sendo feito pelo Departamento de Estado.

“A decisão do secretário Pompeo de servir como menino de recados da reeleição do presidente em uma missão diplomática financiada pelo contribuinte, e sua decisão de usar um de nossos parceiros mais próximos como adereço político nesse ato, é absolutamente vergonhosa”, disse Bedingfield.

A campanha de Trump minimizou as queixas sobre o uso de propriedades federais, como a Casa Branca, como palco partidário e disse que fará com que todos os funcionários e participantes cumpram a Lei Hatch. O presidente e o vice-presidente estão isentos da lei, mas poderia haver implicações para os funcionários, dependendo de seu nível de envolvimento.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247