Dissidente cubano é preso, arrastado e morre em hospital

Juan Soto foi humilhado diante de centenas de pessoas, apanhou da polcia e morreu em razo de pancreatite

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com agências internacionais – Morreu neste domingo 8, em Cuba, o dissidente político Juan Wilfredo Soto, aos 46 anos. Ele pertencia ao grupamento Pólo Antiautoriário Unido, do qual também faz parte o dissidente Guilhermo Fariñas, merecedor do prêmio Sarajov, concedido pelo Parlamento Europeu em 2010. Ele qualificou a morte de Soto como “um assassinato”.

No dia 5 de maio, Soto foi preso pela polícia de Santa Clara, no interior da ilha de Cuba, de maneira humilhante. Ele foi arrastado pelo chão do parque Leôncio Vidal diante de centenas de pessoas. Ele foi golpeado fortemente pelos policiais e, em conseqüência dos ferimentos, teve de ser internado num hospital da cidade. Morreu ali.

As autoridades de Cuba não tinham nenhuma versão oficial a dar até o final do domingo. O Hospital Provincial de Santa Clara, onde Soto faleceu depois de dois internado, informou a causa da morte como uma “pancreatite”. O atestado de óbito tem previsão para ser divulgado apenas dentro de 15 dias. “Trata-se de um crime, um assassinato, e o responsável é o governo cubano, por incentivar a violência policial”, disse Fariñas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email