Ditadura boliviana homenageia militares que assassinaram Che Guevara

Durante o ato, o ministro da Defesa da Bolívia também fez ameaças de morte a “cubanos, venezuelanos e argentinos “que queiram impor a ditadura comunista em nosso país”

Ditadura boliviana  homenageia militares que assassinaram Che Guevara
Ditadura boliviana homenageia militares que assassinaram Che Guevara
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Portal Forum - Aconteceu na última sexta-feira (9), na cidade de La Paz, um ato em homenagem aos 47 soldados bolivianos que venceram a guerrilha liderada pelo revolucionário cubano-argentino Ernesto Che Guevara, e o assassinaram, também em um 9 de outubro, no ano de 1967, quando o país andino vivia sob a ditadura de René Barrientos.

O ato foi encabeçado por Jeanine Áñez, que governa a Bolívia desde 12 de novembro de 2019, quando foi imposta no poder pelas Forças Armadas, após o golpe de Estado que obrigou o presidente eleito Evo Morales a fugir do país.

“A lição que demos aos bolivianos e ao mundo inteiro, com a vitória e o fim definitivo de Che Guevara na Bolívia, é que este território não é lugar de ditaduras, nem a comunista, ne a fascista, nem a populista”, declarou a ditadora Áñez.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247