"É apenas o início", diz Biden sobre novas sanções contra Cuba

As novas sanções aplicadas contra Cuba têm como principal alvo o ministro das Forças Armadas Revolucionárias. Presidente dos EUA, Joe Biden, disse que as sanções estão "apenas no início"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A administração Biden anunciou que vai impor sanções às forças militares cubanas e aos oficiais do Ministério do Interior do país.

A nova ronda de sanções ainda terá de ser oficialmente anunciada, talvez ainda nesta quinta-feira (22), e deverá afetar um pequeno grupo de indivíduos envolvidos em supostas violações dos direitos humanos durante os recentes protestos em Cuba.

As sanções em causa deverão ser aplicadas sob a Lei Magnitsky Global. Esta lei autoriza o governo dos EUA a punirem quem considerar violadores dos direitos humanos, inclusive congelando ativos e proibindo-os de entrar em solo estadunidense.

PUBLICIDADE

Ficam, deste modo, marcados os primeiros passos do presidente democrata Joe Biden relativamente à situação de Cuba, uma vez que Washington se encontra pressionado por apelos de legisladores dos EUA e da comunidade cubano-americana para mostrar maior apoio aos manifestantes.

A velocidade com que Washington elaborou novas sanções sinaliza, em princípio, que Biden dificilmente suavizará a abordagem dos EUA ante Cuba.

No decorrer de sua campanha presidencial de 2020, o presidente Biden teria prometido reverter algumas das políticas de seu antecessor republicano, Donald Trump. Porém, com o recente anúncio de novas sanções parece que haverá pouco espaço para uma reaproximação entre os dois países.

PUBLICIDADE

Biden disse que as sanções dos EUA contra Cuba são "apenas o início", e afirma que Washington continuará a sancionar os responsáveis pela opressão do povo cubano.

Contudo, o presidente dos EUA afirmou que estava, no momento, buscando formas de atenuar a situação do povo cubano, começando pela tentativa de restabelecer a ligação de Internet no país do Caribe. Na verdade, Biden afirma que os EUA estão revendo políticas de remessas para determinar como pode maximizar o apoio aos cidadãos cubanos.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email