Eleições: Fiscal do MAS denuncia tentativa de impedir voto de bolivianos no Brasil

Nas últimas eleições, Evo Morales obteve mais de 70% dos votos dos cerca de 40 mil bolivianos que votam no país; confira dados

Yolanda Marlene Cortez
Yolanda Marlene Cortez (Foto: Reprodução/Brasil de Fato)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - As tensões diante do processo eleitoral que acontece na Bolívia neste domingo (18), cerca de um ano após o golpe, também se refletem nos colégios eleitorais do Brasil. Segundo Yolanda Marlene Cortez, delegada do Movimento ao Socialismo (MAS) – partido do ex-presidente Evo Morales – em São Paulo, houve mudanças nas seções para dificultar o voto no país. O Brasil é o terceiro maior colégio eleitoral boliviano no exterior, com 41.682 votantes habilitados em 2020.

“No ano passado haviam ais ordem. Esse ano as coisas foram preparadas para confundir a nossa gente. Não prepararam os recintos que eram normalmente, trocaram os endereços e as pesosas não sabem onde votar. Muita gente não sabe nem em que mesa, nem em qual enderaço. Separaram as escolas com as portas fechadas”, disse Cortez ao Brasil de Fato.

Segundo dados do Órgão Eleitoral Plurinacional (OEP), do Tribunal Supremo Eleitoral, 32.523 bolivianos votaram no Brasil nas últimas eleições, uma cifra bem próxima da Espanha. Excluindo brancos e nulos, foram 31.414 votos válidos.

Leia mais na Fórum.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247