Em meio a pressões de Trump, diretor executivo da TikTok renuncia

Kevin Mayer, diretor executivo da Tik Tok, renunciou alegando "mudanças drásticas" no ambiente político

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Kevin Mayer, diretor executivo da TikTok, anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (27), no momento em que a plataforma de publicação de vídeos está sob pressão das autoridades norte-americanas, que prometeram proibir suas operações nos Estados Unidos. "Nas últimas semanas, como o ambiente político mudou drasticamente, pensei muito sobre o que as mudanças estruturais corporativas exigirão e o que elas significam para o papel global para o qual me inscrevi", escreveu Mayer em uma carta. 

“Nesse contexto, e enquanto esperamos para chegar a uma resolução muito em breve, gostaria de informar com grande pesar que decidi deixar a empresa”, disse ele.

Um porta-voz da TikTok, por sua vez, confirmou a renúncia de Mayer e indicou que eles "respeitam totalmente sua decisão". "Agradecemos a ele por seu tempo com a empresa e desejamos a ele o melhor", disse ele, informa a RT.

Vanessa Pappas, gerente geral da TikTok nos EUA, ocupará o posto interinamente. 

Mayer ocupava o cargo desde 1º de junho deste ano. Anteriormente, ele foi chefe da Direct-to-Consumer & International, uma divisão de negócios da Walt Disney.

Em 6 de agosto, Trump assinou uma ordem de proibição contra a TikTok e sua controladora chinesa, ByteDance, justificando sua decisão de que a plataforma poderia permitir que as autoridades chinesas acessassem os dados pessoais de seus usuários norte-americanos.

Em 14 de agosto, o presidente concedeu ao ByteDance um prazo de 90 dias para se desligar das operações da TikTok nos Estados Unidos. 

Nesta segunda-feira, a Tiktok anunciou que havia entrado com uma ação contra o governo de Donald Trump em um tribunal federal dos EUA. "Discordamos veementemente da posição do governo de que o TikTok é uma ameaça à segurança nacional. [...] Sentimos que não temos escolha a não ser tomar medidas para proteger nossos direitos e os direitos de nossa comunidade e funcionários”, diz a empresa em um comunicado.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247