Em Volgogrado, Putin diz que atentados são "abomináveis"

Entre domingo (29) e segunda (30), dois atentados foram cometidos na cidade, deixando 34 pessoas mortas; "Este crime abominável que foi cometido aqui em Volgogrado não precisa de comentários suplementares", comentou o presidente russo

Russian President Vladimir Putin addresses participants of the St. Petersburg International Economic Forum in St. Petersburg, June 21, 2013. Putin on Friday defended Russian arms deals with Syrian President Bashar al-Assad's government and said the West s
Russian President Vladimir Putin addresses participants of the St. Petersburg International Economic Forum in St. Petersburg, June 21, 2013. Putin on Friday defended Russian arms deals with Syrian President Bashar al-Assad's government and said the West s (Foto: Gisele Federicce)

Da Agência Brasil*

Brasília - Em visita nesta quarta-feira 1º a Volgogrado, o presidente russo, Vladimir Putin, qualificou como "abomináveis" os atentados suicidas que resultaram na morte de 34 pessoas. Entre domingo (29) e segunda (30), dois atentados foram cometidos na cidade. O primeiro, ocorreu na principal estação de trem de Volgorado, localizado a 700 quilômetros de Sotchi. O segundo, foi em um trólei - meio de transporte comum nas cidades russas - do sistema público utilizado na cidade.

O atentado levantou dúvidas quanto à segurança dos Jogos Olímpicos de Inverno, que ocorrerão a partir de fevereiro, na cidade de Sochi. Até o momento foram registradas 18 mortes em decorrência do atentado de domingo e 16 em decorrência do atentado cometido na segunda-feira. Mais de 60 pessoas foram hospitalizadas em Volvogrado e em Moscou, para onde alguns dos feridos foram transferidos.

"Este crime abominável que foi cometido aqui em Volgogrado não precisa de comentários suplementares", disse Putin durante a visita à cidade de cerca de 1 milhão de habitantes, situada nas margens do Volga. "Pouco importa o que possam dizer os criminosos para tentar justificar os seus atos, não há qualquer justificação para crimes cometidos contra civis, sobretudo mulheres e crianças", acrescentou o presidente russo.

Até o momento, nenhum grupo assumiu a autoria dos dois atentados suicidas, mas investigadores já apontaram semelhanças nos explosivos usados, o que faz aumentar as suspeitas de que os dois eventos foram coordenados. De acordo com a imprensa local, uma das pessoas estaria ligada a rebeldes que tentam estabelecer um estado islâmico na região do Cáucaso russo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247