Equador oferece ilha de Galápagos para militares dos EUA

O governo do Equador afirmou que permitiria que os militares dos EUA usem uma ilha de Galápagos para aviões em operação de combate ao tráfico de drogas; a medida está sob críticas, pois prejudicaria a vida animal e vegetal do arquipélago

REUTERS/U.S. Air Force/Tech
REUTERS/U.S. Air Force/Tech

O governo do Equador afirmou que permitiria que os militares dos EUA usem uma ilha de Galápagos para aviões em operação de combate ao tráfico de drogas. A medida está sob críticas, pois prejudicaria a vida animal e vegetal do arquipélago.

Cerca de 30 pessoas protestaram do lado de fora do principal escritório do governo em Quito nesta segunda-feira (17).

Os manifestantes afirmam que o plano é uma ameaça ao meio ambiente das ilhas, que são patrimônio mundial da ONU. Os protestos também apontam que a medida seria prejudicial à soberania do Equador.

Na semana passada, o ministro da Defesa, Oswaldo Jarrin, afirmou que a ilha de San Cristobal pode ser um ponto de partida para missões de vigilância de aeronaves americanas com o objetivo de impedir que traficantes de drogas transportem suas cargas por via marítima.

Jarrin disse que os tripulantes ficariam uma semana no máximo na ilha e seriam monitorados pelas autoridades equatorianas. Os militares dos EUA não comentaram a questão.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247