EUA ameaçam dar calote na China como penalidade por coronavírus

A Casa Branca está discutindo não pagar os títulos do Tesouro norte-americanos comprados por Pequim, como parte de uma estratégia para obrigar a China a pagar uma compensação financeira pelos danos causados pelo coronavírus

Bandeiras dos EUA e da China
Bandeiras dos EUA e da China (Foto: REUTERS/Aly Song)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A remissão não autorizada da dívida neste caso pode ser apresentada ao público norte-americano como uma espécie de pagamento antecipado desta compensação: Pequim pensou que havia dado a Washington um crédito, porém na realidade resultou que apenas havia feito uma compensação antecipada pelos danos causados pela pandemia.

Aqui, o presidente Trump pareceria ocupar uma posição moderada: quer castigar financeiramente a China pela pandemia, porém, devido à sua experiência empresarial, é contra decisões demasiado arriscadas, que podem colocar em risco a situação da moeda norte-americana.

O The Washington Post também revela que Trump e seus assessores já discutiram a questão de limitar a chamada imunidade soberana, uma doutrina judicial que impede que um Estado seja processado sem seu consentimento.

Alguns funcionários do governo também falaram sobre a questão da anulação de parte da dívida dos EUA à China, porém não se sabe se Trump apoiou a ideia.

Por sua vez, Trump expressou preocupação com o dólar, insinuando que um padrão seletivo por parte dos EUA na hora de pagar suas dívidas poderia minar seu uso como a principal moeda do mundo.

Porém, o presidente norte-americano afirmou que sem dúvida alguma encontrará uma maneira de castigar a China, mencionando a ideia de impor taxas extraordinariamente altas sobre os produtos chineses.

Analistas acreditam que "roubar" bilhões de dólares da China, cancelando o pagamento dos títulos dos EUA, não é apenas algo econômico, mas também político, que permitirá a Trump elevar seu rating, sendo um “belo gesto” para as próximas eleições.

A destruição de aproximadamente um terço das reservas de ouro e de divisas da China é uma punição grave.

Entretanto, caso os EUA realmente o façam, a pressão sobre a moeda chinesa será muitíssimo maior.

Entretanto, a moeda norte-americana também poderá ter sua estabilidade abalada drasticamente, mas ao que parece, o presidente norte-americano é perfeitamente capaz de "sacrificar o status do dólar" por sua reeleição.

Com tudo isso, o The Washington Post informa que "o castigo da China é definitivamente o que o presidente está pensando em fazer, segundo um de seus conselheiros".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247