EUA pedem que China liberte canadenses detidos após prisão de Meng Wanzhou

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta sexta-feira (14) que a China deveria libertar dois cidadãos canadenses que foram detidos esta semana depois que autoridades do Canadá prenderam uma executiva senior da Huawei a partir de um mandado de extradição dos EUA

EUA pedem que China liberte canadenses detidos após prisão de Meng Wanzhou
EUA pedem que China liberte canadenses detidos após prisão de Meng Wanzhou (Foto: Jeff Chiu)

247, com Reuters - O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta sexta-feira (14) que a China deveria libertar dois cidadãos canadenses que foram detidos esta semana depois que autoridades do Canadá prenderam uma executiva senior da Huawei a partir de um mandado de extradição dos EUA.

Os comentários de Pompeo foram os primeiros de uma alta autoridade dos EUA sobre as prisões, que o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau disse que poderiam fazer escalar um crescente conflito comercial entre a China e os Estados Unidos.

"A detenção ilegal de dois cidadãos canadenses é inaceitável", disse Pompeo a repórteres depois de se reunir em Washington com a ministra canadense das Relações Exteriores, Chrystia Freeland. "Eles devem retornar... nós pedimos que todas as nações do mundo tratem outros cidadãos corretamente."

Autoridades canadenses foram autorizadas a ter um contato consular com um dos dois detidos na China nesta sexta-feira, e ainda estão tentando contatar o segundo, disse o Ministério das Relações Exteriores.

A China deteve os dois —o empresário Michael Spavor e o ex-diplomata Michael Kovrig, assessor do International Crisis Group — depois que a polícia canadense prendeu a executiva da Huawei, Meng Wanzhou, no dia 1º de dezembro.

Procuradores dos EUA acusam Meng de enganar bancos multinacionais sobre operações ligadas ao Irã, colocando as instituições sob o risco de violarem sanções dos EUA. Meng, que é filha do fundador da Huawei, disse que é inocente.

Trudeau, em seus comentários mais fortes sobre o assunto até agora, disse que a detenção dos dois homens pela China era "inaceitável".

A China rejeita a insistência de Trudeau de que o governo não pode interferir no Judiciário. Meng foi libertada sob fiança nesta semana, mas precisa permanecer no Canadá.

"A escalada da guerra comercial entre os EUA e a China terá todo tipo de consequências imprevistas para o Canadá, potencialmente sobre toda a economia global. Nós estamos muito preocupados com isso", disse ele.

Lu Shaye, embaixador da China no Canadá, disse nesta sexta-feira que as perspectivas para aprofundamento dos laços empresariais eram boas, apesar da disputa. Ele preferiu não comentar, quando indagado por repórteres, sobre os comentários de Trudeau.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247