Extremista de Oslo quer psiquiatra japonês

Por uma questo de honra, autor confesso dos atentados da Noruega diz que especialista do Japo poder compreender melhor seu raciocnio do que um europeu

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com agências internacionais - Anders Breivik Behring, o extremista que confessou a autoria dos atentados na Noruega no dia 22 de julho, pediu para ser avaliado por um psiquiatra japonês, segundo seu advogado a um jornal norueguês nesta terça-feira. "Esse desejo gira em torno de seu conceito de honra. Ele considera que um japonês iria compreendê-lo muito melhor do que um europeu", disse Geir Lippestad ao jornal Dagens Næringsliv.

Dois especialistas noruegueses, Synne Soerheim e Torgeir Husby, foram nomeados pelo Tribunal de Oslo para avaliar se Breivik Behring, que de acordo com seu advogado é "insano", pode responder por seus atos. Ele matou 77 pessoas em Oslo e na ilha de Utoeya. Thomas Heggammer, um especialista da Noruega em terrorismo e islamismo revelou em uma recente entrevista à AFP que, em seu manifesto de 1,5 mil páginas publicadas pouco antes do fato, Breivik mostrou-se fascinado pelo Japão e pela Coréia.

Com base nos primeiros elementos disponíveis sobre a personalidade de Behring Breivik, muitos psiquiatras consideram provável que ele possa ser responsabilizado criminalmente. Isso abriria caminho para um julgamento e uma sentença de prisão, em vez de um hospital psiquiátrico. Ele pode pegar 21 anos de detenção por terrorismo, mas se for acusado de crimes contra a humanidade, a pena sobe para 30 anos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email