FBI quer rejeição às acusações de Trump contra Obama

O diretor do FBI, James Comey, pediu ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos que rejeite publicamente nesta semana as alegações do presidente Donald Trump de que seu antecessor, Barack Obama, teria ordenado o monitoramento dos telefones do republicano; a informação é de membros do alto escalão do governo americano; para Comey, as acusações de Trump são falsas e devem ser corrigidas, informaram as fontes, de acordo com publicação do New York Times; Trump pediu ao Congresso investigação, mas, segundo o jornal americano, a iniciativa de Trump foi vista inicialmente com ceticismo por legisladores, inclusive republicanos

O diretor do FBI, James Comey, pediu ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos que rejeite publicamente nesta semana as alegações do presidente Donald Trump de que seu antecessor, Barack Obama, teria ordenado o monitoramento dos telefones do republicano; a informação é de membros do alto escalão do governo americano; para Comey, as acusações de Trump são falsas e devem ser corrigidas, informaram as fontes, de acordo com publicação do New York Times; Trump pediu ao Congresso investigação, mas, segundo o jornal americano, a iniciativa de Trump foi vista inicialmente com ceticismo por legisladores, inclusive republicanos
O diretor do FBI, James Comey, pediu ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos que rejeite publicamente nesta semana as alegações do presidente Donald Trump de que seu antecessor, Barack Obama, teria ordenado o monitoramento dos telefones do republicano; a informação é de membros do alto escalão do governo americano; para Comey, as acusações de Trump são falsas e devem ser corrigidas, informaram as fontes, de acordo com publicação do New York Times; Trump pediu ao Congresso investigação, mas, segundo o jornal americano, a iniciativa de Trump foi vista inicialmente com ceticismo por legisladores, inclusive republicanos (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O diretor do FBI, James Comey, pediu ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos que rejeite publicamente nesta semana as alegações do presidente Donald Trump de que seu antecessor, Barack Obama, teria ordenado o monitoramento dos telefones do republicano. A informação é de membros do alto escalão do governo americano. Segundo Comey, as acusações de Trump são falsas e devem ser corrigidas, informaram as fontes, de acordo com publicação do jornal The New York Times (NYT). Funcionários também teriam dito que, para Comey, as alegação de Trump insinuam falsamente que o F.B.I. violou a Constituição americana.

O presidente Donald Trump fez a acusação pelo Twitter. "Terrível! Acabo de saber que Obama fez escutas telefônicas na Trump Tower um pouco antes da vitória. Isso é McCartismo.". "Eu apostaria que um bom advogado poderia levar adiante um caso pelo fato de que o Presidente Obama grampeou meus telefones em outubro, antes da eleição!", afirmou. "Quão baixo foi o presidente Obama ao grampear meus telefones durante o sagrado processo eleitoral. Isso é Nixon/Watergate. Cara mau [ou doente]!", continuou.

O ex-presidente Barack Obama negou as acusações, por meio do seu porta-voz, Kevin Lewis. "A regra fundamental da administração Obama era que nenhum funcionário da Casa Branca jamais interferisse em qualquer investigação independente conduzida pelo Departamento de Justiça", afirmou Lewis, em comunicado. "Como parte dessa prática, nem o presidente nem qualquer funcionário da Casa Branca ordenaram espionar nenhum cidadão americano. Qualquer sugestão contrária é simplesmente falsa".

A Casa Branca pediu neste domingo ao Congresso norte-americano que investigue se Obam ordenou o grampo, mas, ainda segundo o NTY, legisladores veem com com ceticismo a iniciativa de Trump, até mesmo quem é republicano.

O senador Marco Rubio, republicano da Flórida, afirmou, neste domingo (5), que "não tem certeza do que está falando". "Não sei qual foi a génese dessa declaração", disse ele à CNN. "Eu não vou ser uma parte de uma caça às bruxas, mas eu também não vou ser parte de um encobrimento".

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247