Fecha-se o cerco contra a máfia

Depois de prender o lder e o tesoureiro da mfia italiana Camorra, a polcia e a Interpol capturam Mario Caterino, foragido h seis anos e o segundo na hierarquia da organizao que inspirou o PCC, a faco criminosa paulista

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 e Agência Estado - Depois das prisões de Francesco Salzano, líder da máfia Camorra, em Fortaleza, no Brasil, e do tesoureiro do grupo criminoso Vincenzo Schiavone, o serviço de inteligência da Itália capturou nesta segunda-feira 2, Mario Caterino (foto), o número 2 na hierarquia da máfia Camorra e procurado há seis anos. Ele é apontado como o braço direito do recluso líder da família criminosa Casalesi. Caterino foi preso em sua casa em Casal di Principe, área de concentração do clã da Camorra. Fugitivo desde 2005, ele havia sido sentenciado à prisão perpétua por homicídio.

Em uma operação separada, a polícia encontrou uma grande soma de dinheiro de supostos pagamentos por extorsões, em um apartamento de um suspeito em Nápoles.Segundo a edição na internet do jornal La Repubblica, havia tantas notas de 500 euros (US$ 700) escondidas no apartamento que a polícia precisou de uma máquina para contá-las. Segundo agências de notícia, a soma pode chegar a 5 milhões de euros (US$ 7 milhões). Membros da máfia Camorra teriam influenciado a organização do Primeiro Comando da Capital, o PCC. Dois integrantes da organização italiana, Bruno e Renato Torsi, ficaram presos quatro anos com um dos oito fundadores da facção, Mizael Silva, na Casa de Custódia de Taubaté. A informação está no livro Gomorra, de Roberto Saviano. Mesmo depois de extraditado para Itália, eles continuaram se correspondendo.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email