Fernández surpreende alunos e aplica prova na Universidade de Buenos Aires

"Não quis deixar de vir hoje à Faculdade de Direito da UBA para aplicar provas finais aos meus alunos e alunas de Direito Penal. A educação pública gratuita é um dos valores mais importantes que temos", disse Alberto Fernandez, que antes de ser eleito presidente, lecionava na faculdade de Direito

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente argentino Alberto Fernández voltou as salas de aula para supervisionar as provas finais de seus alunos do curso de Direito, nesta sexta-feira (13).

Em suas redes sociais, o presidente argentino publicou uma foto da visita e reforçou a importância da educação pública.

"Não quis deixar de vir hoje à Faculdade de Direito da UBA para aplicar provas finais aos meus alunos e alunas de Direito Penal. A educação pública gratuita é um dos valores mais importantes que temos. Vamos defendê-la com o exemplo e com os recursos que ela merece", escreveu.

Antes de ser eleito, Fernández lecionava a disciplina de Direito Penal na Universidade de Buenos Aires e surpreendeu os alunos ao voltar para a sala de aula.

Segundo a agência Reuters, a segurança foi reforçada nos corredores da universidade. Ao chegar, o presidente eleito e empossado sentou-se pacientemente na frente da turma enquanto seus alunos faziam a prova. Depois, todos posaram para uma foto em grupo.

"Ele não é mais um candidato a presidente, ele é o presidente na nação. Isso é histórico. Isso nunca mais irá acontecer na minha vida", disse Nadina Tatiana Pasanini, uma das alunas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247