Ganhador do Nobel da Paz denuncia interferência externa no golpe de estado da Bolívia

Adolfo Pérez Esquivel denunciou a Organização dos Estados Americanos (OEA), que, segundo ele, interferiu no processo democrático da Bolívia em novembro de 2019

Adolfo Pérez Esquivel
Adolfo Pérez Esquivel (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Na última quinta-feira (15), Adolfo Pérez Esquivel, ativista argentino ganhador do Nobel da Paz em 1980, denunciou à Organização das Nações Unidas (ONU) a interferência da OEA nas eleições da Bolívia de novembro de 2019. 

Segundo Esquivel, a missão da OEA de fiscalizar as eleições no país andino foram na realidade uma tentativa de condenar o processo eleitoral como fraudulento. A hipótese da OEA jamais foi comprovada, mas mesmo assim levou à renúncia de Evo Morales.

“Os atos de intervencionismo cometidos pela Secretaria Geral da OEA [...] tiveram consequências nefastas na Bolívia, provocando o rompimento do Estado, a desestabilização da democracia, o sofrimento da população, o uso irracional do poder e o desmantelamento da Constituição Política do Estado, propiciando um golpe de Estado e a instauração de um governo transitório que comete sistematicamente delitos contra a população”, diz o texto de denúncia, como reportado no Brasil de Fato.

As próximas eleições na Bolívia estão marcadas para o próximo domingo (18). A OEA participará do processo eleitoral com o status de observadora, o que, segundo o Movimento para o Socialismo (MAS), um dos principais partidos da Bolívia, “não é ético”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247