Gás que passa pelo Nord Stream 1 flui com capacidade reduzida de 20%

Além da Alemanha, a redução também afeta a transferência do gás para outros países europeus, como França e Áustria

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


Xinhua - As entregas de gás natural da Rússia para a Alemanha através do gasoduto Nord Stream 1 foram reduzidas na quarta-feira para 20 por cento da capacidade, disse o operador do gasoduto.

A estatal russa de energia Gazprom anunciou a redução na segunda-feira citando uma turbina desaparecida. Além de uma paralisação de 10 dias para manutenção no início deste mês, os fluxos de gás através do gasoduto estrategicamente importante já haviam sido reduzidos para 40%.

Embora a situação permaneça "tensa e não se possa descartar mais deterioração", a segurança do abastecimento na Alemanha está atualmente garantida, disse a Agência Federal de Redes do país (BNetzA). A redução também afeta a transferência do gás para outros países europeus, como França e Áustria.

Os futures europeus de gás TTF (Title Transfer Facility) estavam sendo negociados a cerca de 227 euros (230 dólares americanos) por megawatt-hora na quarta-feira, três vezes o preço antes do início do conflito Rússia-Ucrânia. "Empresas e consumidores privados devem se preparar para o aumento significativo dos preços do gás", alertou a agência de rede alemã.

Os preços dos produtos energéticos na Alemanha têm subido acentuadamente e subiram 38% em junho em relação ao ano anterior, de acordo com o Departamento Federal de Estatística (Destatis). Os preços do petróleo para aquecimento mais que dobraram, enquanto o gás natural ficou cerca de 61% mais caro.

A Alemanha permitiu mais geração de energia a carvão como resultado da redução do fornecimento de gás e está discutindo a suspensão da eliminação gradativa da produção de energia nuclear. A operação continuada das usinas nucleares restantes além do final do ano não pode ser descartada, de acordo com o ministro de Assuntos Econômicos e Ação Climática, Robert Habeck.

A fim de se preparar para o próximo inverno, os ministros de energia dos estados-membros da União Europeia (UE) concordaram na terça-feira com uma meta voluntária de redução de 15% para o uso de gás da média de 2017-2021 até o final de março de 2023.

"Estamos fazendo tudo o que podemos para garantir que não haja escassez de gás", disse Habeck. "Temos que economizar energia e encontrar fontes alternativas".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email