Governo da Bolívia confirma convocação de novas eleições

A autoproclamada presidenta da Bolívia, Jeanine Áñez, assegurou que assinará ainda neste domingo a lei das eleições gerais

A presidente autoproclamada da Bolívia, Jeanine Añez
A presidente autoproclamada da Bolívia, Jeanine Añez (Foto: Facebook/Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O governo boliviano vai convocar novas eleições, seguindo a decisão do Parlamento adotada neste sábado (23). 

O Parlamento boliviano aprovou neste sábado a lei que anula os resultados das eleições de 20 de outubro deste ano e garante a realização de novas eleições gerais. 

"Amanhã, às 10 horas, promulgarei a Lei do Regime excepcional e transitório para a realização de eleições gerais, aprovada pela Assembléia Legislativa", tuitou a autoptoclamada presidente Áñez.

Nas eleições gerais de 2020, todos os partidos registrados legalmente poderão participar, com os candidatos que desejarem, no entanto, os cidadãos que foram continuamente reeleitos para uma posição durante os dois períodos constitucionais anteriores não podem concorrer à mesma posição.

Assim, a norma impede a reeleição de Evo Morales. 

Morales, ex-líder aimara e representante dos sindicatos dos plantadores de coca, presidente da República por três mandatos e reeleito para um quarto nopleito de 20 de outubro, renunciou em 10 de novembro em meio a protestos violentos por solicitação da polícia e das Forças Armadas.

Morales solicitou asilo político no México, no que foi atendido, e a senadora Jeanine Áñez se declarou presidente, e assumiu o cargo sem atender aos procedimentos legislativos previstos pelo parlamento.
Mais tarde, o Tribunal Constitucional aprovou a investidura da política. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247